Roberto Jefferson já foi transferido para hospital particular no Rio de Janeiro

Ministro do STF Alexandre de Moraes autorizou a transferência do presidente do PTB para tratamento médico

Stéfano Sallesda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes de autorizar a transferência do presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) para um hospital particular, sem revogar a prisão preventiva, Roberto Jefferson já está no Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, sob os cuidados da Polícia Federal.

A decisão de Moraes foi proferida na tarde de sábado (4) e atendeu a um pedido da defesa, que alegava que o cliente apresentava pielonefrite aguda bilateral, um tipo de infecção que, no caso de Roberto Jefferson, afetou os dois rins. Advogado de Roberto Jefferson, Luiz Gustavo Pereira da Cunha destacou ainda nos autos que Jefferson é paciente oncológico: teve quatro tipos de câncer.

O ex-deputado federal de 68 anos estava internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que atende a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8), dentro do Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A transferência para o hospital particular, de acordo com Pereira da Cunha, ocorreu por volta das 22h de sábado (4).

O pedido de transferência para atendimento no Hospital Samaritano ocorre porque a unidade já vinha atendendo ao ex-parlamentar antes da prisão, ocorrida no dia 13 de agosto, na cidade de Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro. Roberto Jefferson foi preso por decisão do ministro Alexandre de Moraes e é acusado de participação em uma suposta milícia digital que promove ataques às instituições democráticas.

A decisão de Moraes cita que Roberto Jefferson deve utilizar tornozeleira eletrônica neste período, para monitoramento, e que não pode receber visitas no hospital, a não ser de parentes, ou com autorização judicial e seguindo as regras da unidade de saúde. A tornozeleira foi colocada na própria unidade, antes da transferência.

A determinação explicita ainda que ele não pode ter contato ou acesso a outros investigados nos inquéritos dos Atos Antidemocráticos e das Fake News.

A decisão mantém a proibição do uso ou do acesso às redes sociais de Roberto Jefferson, seja por parte dele ou de sua assessoria. Ele também está proibido de conceder qualquer tipo de entrevista sem autorização judicial. A manifestação de Moraes determina ainda que a desobediência a qualquer dessas medidas cautelares levará ao imediato retorno de Roberto Jefferson ao estabelecimento prisional.

Mais Recentes da CNN