Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba quem é Walter Delgatti Neto, o “hacker da Vaza Jato” que teria invadido sistema do Judiciário

    Delgatti admitiu ter invadido o sistema do Conselho Nacional de Justiça; também afirma ter divulgado conversas da Operação Lava Jato

    Da CNN

    São Paulo

    Walter Delgatti Neto, o “hacker da Vaza Jato“, foi preso nesta quarta-feria (2), em uma investigação sobre invasões ao sistema do Poder Judiciário.

    Ele ficou conhecido desta maneira por supostamente ter sido o hacker que invadiu celulares de autoridades envolvidas na Operação Lava Jato, dando início a investigações sobre a atuação da força-tarefa.

    Delgatti chegou a oferecer os dados coletados a parlamentares de esquerda, como a então deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB). Com a recusa da ex-parlamentar, ele repassou as informações para veículos de imprensa.

    Abaixo, saiba quem é Walter Delgatti Neto.

    Quem é Walter Delgatti Neto, o “hacker da Vaza Jato”?

    Walter Delgatti Neto é o hacker que invadiu celulares de quase 200 autoridades, segundo a PF, incluindo o presidente Jair Bolsonaro (PL), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), e o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos).

    Em entrevista exclusiva à CNN, ele também afirmou ter invadido a conta do Telegram do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

    “Eu estava empolgado com tudo e fiquei cego. Eu comecei a enxergar somente isso. Eu sonhava com isso, acordava pensando nisso, ia para aula com o Telegram conectado ali nas conversas”, destacou.

    Ele também pontuou que não tinha, em um primeiro momento, foco na Operação Lava Jato. “Se eu tivesse foco a Lava Jato, teria conseguido antes. A Lava Jato é o último lugar em que imaginei que encontraria irregularidades”.

    Entretanto, em junho de 2019, o site “The Intercept Brasil” divulgou mensagens de Sergio Moro e procuradores da Lava Jato que foram vazadas pelo hacker. Segundo o hacker, ele não recebeu pelas informações divulgadas.

    Walter Delgatti Neto diz ser o hacker que invadiu celulares de autoridades da Operação Lava Jato
    Walter Delgatti Neto diz ser o hacker que invadiu celulares de autoridades da Operação Lava Jato / Arte/CNN Brasil

    Nelas, as mensagens sugeririam que Moro e o procurador Deltan Dallagnol combinavam operações. Um mês depois, em julho de 2019, Delgatti foi preso na operação Spoofing, que investigava o caso.

    Em outubro de 2020, o hacker foi para o regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica. Ele chegou a ser preso novamente em junho deste ano por descumprir uma medida da Justiça que o proibia de acessar a internet, mas, depois, foi posto novamente em liberdade.

    Após o caso da “Vaza Jato”, ele foi procurado por políticos de direita — tendo contado, então, com Carla Zambelli. Em entrevista recente, o hacker pontuou que receberia cerca de R$ 6 mil da parlamentar.

    Segundo Gustavo Uribe, analista de Política da CNN, fontes dizem que, em detenções anteriores, Delgatti teria afirmado que poderia fazer uma delação premiada.

    Porém, em entrevista à CNN nesta quarta-feira (2), após a prisão da operação que investiga invasões ao sistema do Poder Judiciário, o advogado que representa o hacker pontuou que não está sendo negociada delação neste momento.

    Em agosto de 2022, Delgatti se encontrou com Jair Bolsonaro (PL), então presidente da República. Segundo o hacker, Bolsonaro o teria perguntado se seria possível invadir uma urna eletrônica.

    Walter Delgatti teria sido contratado por Carla Zambelli para invasão ao sistema do Judiciário
    Walter Delgatti teria sido contratado por Carla Zambelli para invasão ao sistema do Judiciário / Arte/CNN Brasil

    De acordo com fontes ouvidas pela CNN, Bolsonaro teria dito a advogados que ficou em silêncio em reunião com hacker e tranquilizou sua defesa afirmando que tem “zero” preocupação com ação.

    Também disse que se encontrou, em setembro do mesmo ano, com Carla Zambelli em um posto de gasolina em uma rodovia de São Paulo.

    Em fevereiro de 2023, em entrevista ao “Brazilian Report”, Walter Delgatti destacou que teria sido procurado para invadir o celular do ministro Alexandre de Moraes. Também revelou que teria sido contratado pela deputada para cuidar de seu site.

    Então, em 2 de agosto, foi preso em uma operação que investiga invasões ao sistema do Poder Judiciário, tendo admitido que acessou o sistema do CNJ e do Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP), além de ter inserido um falso mandado de prisão em desfavor de Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

    *publicado por Tiago Tortella, da CNN