Santa Catarina: saiba quem são os pré-candidatos ao governo e ao Senado

Pré-candidatos concorrerão contra o atual governador, Carlos Moisés (Republicanos), que deverá tentar a reeleição

Centro Administrativo, em Florianópolis, sede do governo de Santa Catarina
Centro Administrativo, em Florianópolis, sede do governo de Santa Catarina Governo de Santa Catarina

Denise Becker*colaboração para a CNN

Ouvir notícia

Um levantamento realizado pela CNN apontou quem são os pré-candidatos ao governo estadual e ao Senado por Santa Catarina nas eleições 2022. Vale destacar que os partidos podem mudar as indicações até 5 de agosto, quando acaba o prazo para a escolha de candidatos e candidatas.

Carlos Moisés, governador de Santa Catarina, é pré-candidato à reeleição pelo Republicanos. Formado em Direito e bombeiro militar, cumpre seu primeiro mandato na vida política, após ter sido eleito em 2018 com 70% dos votos em segundo turno. Durante o governo, o político passou por dois processos de impeachment, mas foi absolvido em ambos. Ele é natural de Florianópolis e tem 54 anos.

Jorginho Mello é o pré-candidato a governador de Santa Catarina pelo PL. Ele é apontado como um nome provável dentro da movimentação dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) – que tenta retomar o poder no estado, depois que o atual governador rompeu com o grupo e deixou o PSL. Mello é natural de Ibicaré, tem 65 anos e é senador. Já foi deputado estadual exercendo quatro mandatos, além de deputado federal por mais dois.

Pelo Progressistas (PP), o pré-candidato é o senador Esperidião Amin. Foi prefeito, governador e deputado federal. Já concorreu às eleições presidenciais, em 1994. Quando foi eleito senador pela segunda vez, em 2018, disputou a Presidência do Senado, obtendo 13 votos contra o candidato vencedor, Davi Alcolumbre, que obteve 42 votos.

O senador Dário Berger (MDB) migrou para o PSB e se lançou pré-candidato ao governo. Ele tem 65 anos, é natural de Bom Retiro, já foi prefeito de São José entre 1996 e 2004 e de Florianópolis entre 2005 até 2013. É atualmente senador – se ele for mesmo disputar o comando de Santa Catarina, os três senadores do estado podem ser concorrentes.

Quem também aparece na disputa, pelo União Brasil, é Gean Loureiro, que renunciou ao cargo de prefeito de Florianópolis para concorrer ao governo do estado. Ele é advogado e tem 49 anos. No estado, o partido estuda uma possível aliança com PSD e Podemos.

Décio Lima (PT), ex-prefeito de Blumenau, pode tentar repetir a dose. Ele concorreu ao cargo em 2018, sendo derrotado pelo atual governador. Foi três vezes deputado federal. É advogado, de 61 anos, natural de Itajaí (SC).

Ex-prefeito de Lages e ex-deputado federal, Fernando Coruja é cotado como candidato ao governo pelo PDT. É médico, de 67 anos, e já foi secretário de Saúde de Florianópolis.

Fotos – os pré-candidatos ao governo de Santa Catarina

Senado

Até o momento, poucos nomes foram definidos como pré-candidatos ao Senado pelos partidos. Dário Berger (PSB) está no último ano de mandato e pode disputar a reeleição, caso não viabilize sua candidatura ao governo.

Entre os pré-candidatos está Kennedy Nunes, do PTB. Atualmente deputado estadual, é o presidente estadual do PTB e vice-presidente da sigla em território nacional. Anteriormente, o político estava no PSD. Nunes faz parte de um movimento nacional chamado “acorda Senado”, criado por setores religiosos e conservadores.

Já o PL, partido de Jair Bolsonaro, confirmou um aliado do presidente, o ex-secretário da Pesca Jorge Seif Júnior, como pré-candidato ao Senado na chapa de Jorginho Mello.

O primeiro turno da eleição de 2022 está marcado para acontecer no primeiro domingo de outubro, dia 2. E, caso seja necessário, o segundo turno será realizado no dia 30 do mesmo mês.

Confira abaixo os senadores cujos mandatos terminam em 2023. As vagas deles no Senado estarão em jogo nas eleições deste ano. 

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Com informações de Fabrício Julião, da CNN, em São Paulo

Mais Recentes da CNN