Senador governista defende acareação na CPI sobre pedido de propina em jantar

O vendedor Luiz Paulo Dominghetti afirmou ter recebido pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina por um ex-funcionário do Ministério da Saúde

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O senador Jorginho Mello (PL-SC), titular da CPI da Pandemia, afirmou em entrevista à CNN que defende uma possível acareação do suposto pedido de propina recebido pelo vendedor Luiz Paulo Dominghetti, que depôs na última quinta-feira (1º) à comissão.

“Precisamos esclarecer ou até fazer uma acareação de forma desapaixonada”, afirmou Mello.

Segundo Dominghetti, o ex-funcionário do Ministério da Saúde Roberto Dias pediu US$ 1 por dose de vacina contra a Covid-19 em um jantar que  aconteceu em um restaurante de um shopping em Brasília.

PGR

O senador também defendeu a Procuradoria-Geral da República (PGR), que pediu nesta sexta-feira (2) a abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação após ter sido informado sobre possíveis irregularidades na compra do imunizante indiano Covaxin. 

“É uma posição que precisamos entender e respeitar”, explicou Mello.

“A PGR não poderia se omitir, ainda mais quando é provocada através do STF sobre prevaricação ou qualquer outro tipo de infração.”

O senador Jorginho Mello (PL-SC) conversou com a CNN sobre a CPI da Pandemia
O senador Jorginho Mello (PL-SC) conversou com a CNN sobre a CPI da Pandemia (02.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Mais Recentes da CNN