Sidney Rezende: Denúncias de Miranda se agravam por virem de aliado bolsonarista

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista comentou entrevista do deputado federal Luis Miranda deu à CNN sobre supostas irregularidades na compra da Covaxin

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (24), Sidney Rezende analisou a entrevista que o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) deu à CNN. Segundo o parlamentar, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi avisado sobre irregularidades no contrato de aquisição da vacina indiana Covaxin.

“Isso é mais do que fogo amigo, é muito sério. Eu disse ontem que considerava a entrevista explosiva e com consequência próximas de um escândalo. Por quê? Porque ele é bolsonarista, ele apoia o presidente da República, ele e o irmão são aliados do presidente”, disse Rezende.

“Quando o irmão [de Luis Miranda], funcionário público, verificou que bastaria uma assinatura dele para liberação de um contrato para recursos já imediatos equivalentes a R$ 22 milhões de um contrato de R$ 1,6 bilhão, ele decidiu não assinar. Falou com o irmão e ambos decidiram ir ao presidente da República, isso há uns 90 dias.”

“Estamos vendo algo que pode ser maior do que se imagina. Foi uma operação fora do esquadro. Se o governo negociava diretamente com os fabricantes e, no caso da Covaxin, resolveu negociar com uma empresa intermediária, houve uma exceção. Por que para as demais empresas o governo pareceu moroso ou lento e para essa específica era tudo rápido demais?”, questionou o jornalista.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (24.jun.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN