Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    STF discute Marco Civil da Internet com big techs e ministros de Lula

    Audiências públicas acontecem nesta terça (28) e quarta-feira (29); representantes de Google, Facebook e Twitter devem comparecer

    Lucas Mendesda CNN

    em Brasília

    O Supremo Tribunal Federal (STF) realiza nesta terça (28) e quarta-feira (29) audiências públicas para discutir as regras do Marco Civil da Internet. Ao todo, participarão 47 expositores, entre entidades, especialistas e representantes do governo federal e de big techs, como Google, Facebook e Twitter.

    Os ministros Dias Toffoli e Luiz Fux devem comparecer à abertura dos trabalhos, às 9h de terça. Os magistrados são relatores de ações que discutem pontos do Marco Civil da Internet.

    Esta norma legal legisla sobre a responsabilidade de provedores de aplicativos ou de ferramentas de internet pelo conteúdo gerado pelos usuários e a possibilidade de remoção de conteúdos que possam ofender direitos de personalidade, incitar o ódio ou difundir notícias fraudulentas a partir de notificação extrajudicial.

    A presidente da Corte, ministra Rosa Weber, também deve acompanhar o início da audiência. Na manhã de terça, estão agendadas as falas dos ministros Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação, e Silvio Almeida, do Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania.

    A audiência ocorrerá das 9h às 18h20, na terça-feira (28), e das 9h às 12h, na quarta-feira (29). Cada participante poderá falar por 10 minutos.

    Veja a lista de participantes:

    28 de março

    BLOCO I: das 9h30min às 12h:

    • Facebook Serviços online do Brasil Ltda;
    • Google Brasil Internet Ltda;
    • Bruno Henrique Trevizan Forti;
    • Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Paulo Pimenta, ministro Chefe da Secretaria de Comunicação Social, e João Brant, Secretário de Políticas Digitais a Secretaria de Comunicação Social);
    • Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania (Sílvio Almeida, ministro de Direitos Humanos e Cidadania);
    • Frente Parlamentar Mista da Economia e Cidadania Digital;
    • Ministério da Justiça e Segurança Pública (Estela Aranha, assessora especial do Ministro da Justiça);
    • Ministério das Comunicações (Maximiliano Salvadori Martinhão, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações);
    • Procuradoria Nacional da União de Defesa da Democracia da Advocacia-Geral da União (Marcelo Eugênio Feitosa Almeida, Procurador-Geral da União);
    • Ministério das Mulheres (Isis Menezes Taboas, assessora do Gabinete da ministra Das Mulheres).

    BLOCO II: das 14h às 16h:

    • Twitter Brasil;
    • ByteDance Brasil;
    • Wikimedia Foundation Inc;
    • Mercado Livre;
    • GetEdu;
    • Associação Brasileira de Internet (ABRANET);
    • Federação das Associações das Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro Nacional);
    • Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (ABRINT);
    • Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL);
    • Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais (ANPD);
    • Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP);
    • OAB/SP.

    BLOCO III: das 16h20 às 18h20:

    • Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT);
    • Associação Nacional de Jornais (ANJ);
    • Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI);
    • Associação Brasileira de Comunicação Pública (ABCPública);
    • Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC);
    • Instituto Brasileiro de Política e Direito do consumidor;
    • Artigo 19 Brasil;
    • Núcleo de informação e coordenação do Ponto BR (NIC.br);
    • Instituto Alana;
    • Confederação Israelita do Brasil (CONIB).

    29 de março

    BLOCO IV: das 9 às 12h:

    • Associação Brasileira de Jurimetria (ABJ);
    • Partido dos Trabalhadores – PT (Diretório Nacional);
    • Instituto de Liberdade Digital Laboratório de Direito Digital e Democracia da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie;
    • Legal Grounds Institute;
    • InternetLab;
    • Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital (ABCID);
    • Rede de Direito Civil Contemporâneo;
    • Clínica de Responsabilidade Civil da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (“UERJ resp”);
    • Instituto Brasileiro de Direito Civil – IBDCivil;
    • Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS/RIO);
    • Instituto Internet no Estado da Arte (ISTART) e Instituto Norberto Bobbio (INB);
    • Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV DIREITO RIO;
    • Centro de Ensino e Pesquisa em Inovação da Escola de Direito Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (CEPI – FGV DIREITO SP);
    • Associação Brasileira de Rádio e Televisão (ABRATEL);
    • Associação Nacional dos Editores de Revistas (ANER).