Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Veja íntegra do interrogatório de ministro da Justiça sobre fraude em urnas eletrônicas

    Anderson Torres rejeitou irregularidades

    Urna eletrônica do TSE para as Eleições
    Urna eletrônica do TSE para as Eleições Divulgação/TSE

    Da CNN

    Veja a íntegra do interrogatório do ministro da Justiça, Anderson Torres, sobre as urnas eletrônicas:

    O senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Bem, em primeiro lugar, quero agradecer a sua presença aqui, ministro Anderson, e dizer da nossa intenção aqui.

    Embora seja um procedimento administrativo, né, nós temos aí a incumbência de apurar esses fatos, como é de seu conhecimento – recebeu a cópia da nossa portaria. Também dizer da nossa satisfação de receber aqui o ministro da AGU, o doutor Santini também, que acompanham o nosso depoimento. Aqui ao meu lado, vai ficar registrado na gravação, nosso vice-procurador-geral eleitoral, doutor Paulo Gonet, que também agradeço a intimação, meio de última hora, mas que comparece ao nosso encontro. E, aqui ao meu lado, o escrivão, não é?

    Então, dizer da nossa intenção, que é a apuração desses fatos contidos na portaria e, embora seja um procedimento administrativo, me incumbe – embora o senhor saiba bem – fazer a advertência de que estamos aqui sob compromisso … o senhor é testemunha e deve dizer a verdade, sob as penas da lei. E, depois que concluída aqui a minha, a minha etapa, eu vou ouvir, na sequência, as perguntas do Ministério Público e, também, do Ministro da AGU, se houver alguma coisa para esclarecer mais.

    Podemos seguir assim? Ótimo.

    Ministro Anderson, em primeiro lugar, eu queria saber como ocorreu a sua participação naquela tive, do dia 29/7? Quem o convidou e quem decidiu o conteúdo do que foi ali exposto? Essa é a minha primeira indagação, o senhor pode falar livremente. Nós estamos gravando; depois, faremos a degravação. Então, não há problema nenhum …
    Claro, por favor. E ali acompanham também, fazendo o registro, o Doutor Richard e a Márcia que é … a doutora Márcia que é da Corregedoria. Estão gravando bem aí o som? Captando bem?

    Senhor Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:

    Ministro, muito obrigado por nos receber … o convite; é mais uma honra estar aqui. Aliás, já deveria ter vindo aqui me apresentar ao senhor, quando assumimos lá. Mas,
    realmente, a gente pegou o barco andando e numa velocidade muito grande. Tem pouco tempo que a gente chegou e a gente tá tentando entender e consertar alguns
    rumos ali no MJ, que a gente entende que precisa melhorar. Mas, Ministro, como eu disse, a gente percebe que, toda vez que o presidente faz uma live, e quando a tive tem um tema, o ministro da pasta referente ao tema, ele está presente. Muitas vezes, participa da live, muitas vezes não participa, mas está presente na live. Isso já é uma praxe semanal, ali no Palácio do Planalto. A gente, desde o início, observou isso.

    Então, naquela semana, especificamente, um dos temas que seria tratado naquela live seria a questão das eleições; é um tema afeto ao Ministério da Justiça. Eu fui informado pela Casa Civil sobre o tema e participei da tive, na qualidade de ministro da pasta referente ao tema. Então, minha participação se deve em relação a isso.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão, corregedor-geral eleitoral:

    O próprio Presidente que o convidou?

    O Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:

    É, o Gabinete do Presidente faz contato conosco e tal, né? A Casa Civil que mandou essa informação, na verdade. A gente foi à live, eu participei, na verdade; a live durou mais de duas horas, a gente entrou ao final; nossa participação foi menor do que cinco minutos na live. Porque, na verdade, eu acompanhei a live, só ao final que a gente entra na live ali. Participa, mostrando alguns relatórios aqui, inclusive produzidos para o Tribunal Superior Eleitoral, relatórios públicos, feitos aqui a pedido, em uma audiência pública, um chamamento público que o TSE faz anualmente, na questão das eleições. A Polícia Federal participa. E a nossa participação na live foi exatamente essa; e participamos em razão exatamente disto: o ministro da pasta sempre acompanha o Presidente, quando o tema é sobre a pasta do ministro.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomã (corregedor-geral eleitoral): Teve alguma reunião prévia para combinar essa live?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:

    Não, não teve reunião prévia. O que ocorreu, na semana anterior, quando essa notícia chegou ao Ministério da Justiça, oriunda da Casa Civil… que ia haver uma
    reunião para apresentação de possíveis fraudes na eleição … fraudes e, enfim … eventuais crimes ali na eleição … ali cometidos. Se houve fraude, houve crime.
    Isso ia ser tratado no âmbito da Casa Civil. Eu, inclusive, ao ficar sabendo que ia ter uma reunião para tratar de crime, tentei me inteirar do que se tratava. Pareciam ser crimes cibernéticos; mandamos para lá, para acompanhar a reunião, para saber do que se tratava – se era crime, se não era crime – dois peritos da Polícia Federal para participar da reunião. Eles tiveram lá, acompanhando essa reunião prévia, mas parece que a reunião, enfim, os peritos … a notícia que eu tive, eu não conversei com eles depois da reunião, mas a notícia que eu tive foi que, para eles darem um parecer ali – para eles dizerem se houve ou não um crime -, esse material, essas discussões teriam que ser encaminhadas formalmente para a Polícia Federal. E até naquele momento, eu não tive notícia, se foi encaminhado, se não foi
    encaminhado; se isso foi periciado ou não foi periciado. Então, a reunião …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomã (corregedor-geral eleitoral): Lembra o nome dos peritos?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, eu não os conheço. Eu sei que, em tese, eu acho que eles iriam
    encaminhar os mesmos peritos, parece, que tratam desse processo eleitoral sempre
    aqui com os senhores, inclusive que tinham produzido aqueles documentos.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito. Durante a transmissão, quem que estava presente, que o senhor se recorda?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Tinha … ministro? Eu, o General Heleno, o General Ramos e só. Assessoria, muita.
    Tinha ali o ajudante de ordens do Presidente… enfim, a assessoria geral ali.
    Ministros éramos nós.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Certo. Em relação às urnas propriamente ditas – as urnas eletrônicas -, o que que o senhor apurou, quanto a essa alegação de fraude ou não nas urnas? O que que o senhor tem conhecimento disso?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Na verdade, assim, Ministro, desde que a gente assumiu o ministério, e faz pouco tempo, esse é um assunto que tá na mídia, o Presidente fala muito sobre esse
    assunto; todo mundo fala muito. Então, por óbvio, eu procurei me inteirar sobre isso. Eu vinha da Secretaria de Segurança Pública do DF, eu não estava tão preocupado
    com essa questão. Então, assim, eu mandei produzir alguma coisa, eu precisava entender, eu precisava saber alguma coisa. Eu tenho alguns documentos, inclusive
    em cima da minha mesa, para eu poder estudar o assunto, produzidos pelo meu gabinete. E, nesses documentos, estão isso aqui. O que a gente entende ali, pelo que a gente leu, é que – e aí é uma opinião pessoal… eu acho que não é muito … porque o que eu acredito é no que está escrito, né? Eu não sou técnico nisso, eu não entendo de sistemas de eletrônica e tal, essa coisa toda de informática -, mas, na verdade, eu vejo que é um processo que funciona, que funciona bem no país, num país continental como o nosso – eu já trabalhei, pela Polícia Federal, na segurança das eleições, é muito difícil fazer eleição no Brasil, pelo tamanho do país, pela dificuldade de transporte de urnas, de transmissão de dados, a gente sabe.

    Agora, assim, eu saio do que eu entendo … e o que eu … eu disse ali naquela Iive, é uma coisa que acredito, que eu li, e eu acho que eles têm uma certa razão no que eles dizem. Eu acho que um sistema informatizado, um sistema que é possível ter algum tipo de fraude, né? Eu cito … eu tava conversando, ontem, sobre isso ainda. Eu falei: rapaz, os bancos investem bilhões mensalmente em evitar fraudes, e o número de crimes cibernéticos aumentou muito durante, durante a questão da pandemia e tudo … então, eu acho assim: é um sistema que tem que estar em constante atualização, aperfeiçoamento, como todo sistema. Mas essa é uma opinião minha; não é técnica.

    Agora, o que nós lemos lá naquele dia, Ministro, e eu acho interessante … eu até trouxe aqui; depois, se o senhor quiser, eu posso juntar. Apesar de ser um documento produzido para o TSE, mas se o senhor quiser juntar nos autos, foram … é um processo público, né? É um relatório de análise de urna de 2016,2017,2018. Naquela Iive, eu apenas li alguns trechos que eu selecionei.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): : Isso é um inquérito que tramita na Polícia Federal?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Não.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Não. Um relatório? Um relatório do TSE.

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:

    Um relatório de um procedimento público do TSE. O TSE abre esse procedimento uma vez por ano e chama universidades, Polícia Federal, sociedade civil, para opinar a respeito da eleição. Essa é a opinião nossa, da Polícia Federal, em relação a isso aqui, no TSE. São documentos públicos. Então, assim … aí, aqui diz … o que eu defendi ali, o que eu disse ali foi ler a opinião que os peritos descrevem aqui; e eles dizem que tem que ser um sistema que tem que tá em constante … Por exemplo, eles dizem que, por mais … eu até me lembro bem, dizem que por mais seguro que seja o software, ele, por si só, é pouco, pra uma eventual perícia, uma eventual contraprova … palavras técnicas de peritos, né? Então, foi basicamente isso que nós fizemos e passamos ali na live.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E teve … o senhor teve acesso a algum inquérito da Polícia Federal, algum documento da Polícia Federal?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Pra essa live? Zero.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Pra essa live.

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Zero. Não teve assim uma …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E sobre esse tema: urna eletrônica, voto impresso, o senhor teve acesso a algum documento?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Na verdade, aí, depois da tive, uma semana, duas semanas, depois da tive, o Deputado Filipe Barros (Filipe Barros, é?), Filipe Barros teve acesso a um inquérito que foi fornecido … lhe foi fornecido acesso ao inquérito da Polícia Federal e …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Quem que forneceu?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    O superintendente da Polícia Federal. Ele, como presidente da Comissão do Voto Impresso, né? Ele solicitou formalmente … tem esse trâmite.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito.

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    E aí, nós vimos … ele me mostrou esse inquérito um dia. Eu tive acesso e vi esse inquérito, mas foi só …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E o que que dizia esse inquérito?

    Anderson Gustavo Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, esse inquérito, com todo respeito, ele tá muito mal instruído. É um inquérito que teve início aqui, no Tribunal Superior Eleitoral. .. foi o Detic daqui – a gente
    chama de Detic lá – foi o chefe da informática daqui que deu início a esse inquérito. Ele informou … ele preparou um dossiê de informações de um possível (eu quero um
    cafezinho), de um possível acesso, um possíveL.. uma possível invasão aos sistemas aqui do TSE. E ele (quatro gotinhas), e ele documentou tudo isso e mandou pra
    Polícia Federal, pra a Polícia Federal apurar essa invasão que teve. Ele afirma que teve, né, no site do TSE. Mas infelizmente – e aí digo infelizmente, porque a gente
    não gosta de nada mal feito, né – praticamente essa é a única diligência … nem diligência é … esse é o único documento que está nos autos, a não ser o resto … despacho pedindo prazo e manifestações. É um inquérito, na minha visão, importante… um inquérito que precisa … um fato grave, narrado por um servidor aqui do Tribunal, e a gente precisa apurar esse fato.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito.

    Quanto aos peritos da Polícia Federal, algum deles já analisou, pelo que o senhor saiba, claro, o sistema das urnas? Algum deles já atestou que houve
    ou que não houve fraude? Da onde o senhor sabe, evidentemente.

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, eu não tenho … eu não conheço … eu não conhecia esses dois peritos ali; eu nunca tinha visto … e eu não tenho conhecimento. Eu acredito que tenham sido
    indicadas pessoas que tenham esse conhecimento, que tenham essa expertise, né? Mas eu não tenho essa resposta para dar ao senhor.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Esses peritos que participaram, peritos da Polícia Federal, que participaram desses testes de integridade nas eleições passadas, afirmaram que o modelo adotado atualmente não garantem a integridade da votação e dos resultados?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não, não, eles não afirmam isso. O que eles afirmam é que … exatamente o que está aqui, o que eles afirmam é que seria necessário aumentar a segurança, ter novos
    meios de pesquisas pra eles lá, no fim … vai realizar uma perícia, eles dizem que teria que ter mais meios para aquilo ali; eles não dizem que não tem …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E o senhor já disse que também não sabe como eles foram convocados,
    né, pra essa live? O senhor sabe?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Na verdade, na verdade, assim … a Casa Civil informou ao Ministério da Justiça que teria … não a live, os peritos não foram à live; eles foram a uma reunião uma semana
    antes da live, na Casa Civil, pra poder …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor estava presente a essa reunião?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Eu estava em reunião com o Presidente, quando eles chegaram. Eles ficaram me aguardando na porta do Presidente. Estávamos tratando de outro tema. Quando terminou a reunião, eles me cumprimentaram, desceram pra  a sala de reunião e fizeram a reunião. Eu não participei da reunião; desci com eles até ali, cumprimentei o pessoal que estava lá e lá estava. Foi nesse dia que eu conheci os peritos, eu não os conhecia.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Tá, e o senhor também não tem conhecimento … foi a Casa Civil que fez contato com eles? Isso não passou … ?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não, não, quem fez contato com eles foi o Ministério da Justiça. A Casa Civil fez contato com o Ministério da Justiça.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Tá, e pediu que o Ministério da Justiça convidasse eles …

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Mandasse representantes pra reunião. Aí, uma reunião pra tratar de crimes cibernéticos, em tese … de fraude em eleição. Quem mexe com isso, no âmbito do
    Ministério da Justiça, são os peritos. Nós pedimos à Polícia Federal, ela mandou os peritos.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito. Esses grupos que participam dessa difusão dessas notícias … o senhor tem conhecimento deles? Investiga isso? Participa dessas investigações?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Grupos?

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): De grupos que divulgam essas notícias sobre voto impresso, sobre fraude na urna …

    Anderson Torres, ministro da Justiça:

    Eu desconheço isso, Ministro … assim de grupos e tal. A gente vê, a internet tá cheia disso, né? A gente vai… numa rede social… mas eu desconheço, assim, esses
    grupos. Se há investigação na Polícia Federal, eu também desconheço.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E grupos interessados em fraudar o resultado da eleição, o senhor tem conhecimento de grupos que tenham esse interesse, que participam disso?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, na verdade, eu vou ser sincero pro senhor: é uma área que eu, em tese, nunca atuei assim, diretamente – nesse tipo de investigação eleitoral, criminal,
    voltado pra eleitoral. Como eu disse, eu participei da segurança física das eleições; algumas vezes aqui em Brasília, algumas vezes no Estado de Roraima. Mas muito
    mais atuação no dia da eleição do que em investigação, em polícia judiciária … aí, nesses trabalhos. Eu, realmente … esse é um assunto que nunca foi muito afeto ao
    meu trabalho.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor é filiado a algum partido político?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não sou e nunca fui.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor é pré-candidato a algum mandato político?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Em princípio, não pensei nisso.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): É… Essa questão das denúncias de fraude e modificação do processo legislativo: o senhor disse que não investiga e que não conhece efetivamente a existência desses movimentos, grupo organizado, mas sabe se eles atuam na internet, como é que isso funciona na internet?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, eu vejo muita … eu acho que … é público e notório a divisão que a sociedade vive hoje, né? A gente entra … eu tenho rede social, a gente entra na rede social – e,
    agora, na função que a gente tá, uma função pública -, eu sou extremamente atacado e extremamente elogiado. Então, o país está extremamente dividido, não entra ninguém ali para dar uma opinião morna; ela é quente pra um lado ou ela é quente pro outro. Então isso nos mostra a realidade. E quando a gente anda – não sei qual é o termo correto ali -, quando a gente anda na rede social, isso é claro.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E essa coisa das urnas também? Voto impresso, urna eletrônica …

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Isso é a voz da … que a gente tem visto aí: movimentos e tudo mais. É a discussão do momento, é essa discussão, Ministro.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor sabe como é o financiamento desse … dessa atuação desses
    grupos organizados?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não, eu realmente não tenho conhecimento disso e …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Na polícia, também nunca investigou essa questão?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Eu não tenho essa informação oficial pra dar ao senhor. Pode ser que tenha investigação. Eu não …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Mas o senhor não tem conhecimento?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não, não tenho. E até porque, na qualidade de ministro … a Polícia Federal é vinculada ao Ministério da Justiça, mas eu procuro manter bem essa independência,
    autonomia da Polícia Federal, na questão de polícia judiciária. Isso é o que … eu até falo pro Diretor-Geral: isso é problema seu. O meu problema aqui é outro; ele é que tem que tocar por lá. Agora, se, oficialmente, o senhor questionar, provavelmente o senhor terá essa resposta da Polícia Federal.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor já, com os outros Ministros do Executivo, com o próprio Presidente da República, já conversou sobre esse tema propriamente dito: urna eletrônica, fraude na urna? Isso … e esses movimentos, esses grupos já foram objeto de conversa entre os senhores?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    É … O Presidente, nesse dia da tive … nós conversamos sobre esse assunto. Ele tem a opinião de que também deveria haver uma maior, né? .. Ele tem uma frase que eu
    acho que resume tudo aqui, né? Ele fala assim … que o voto é secreto, mas a apuração tem que ser o mais transparente possível. Essa é a visão dele, em relação
    a tudo isso.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito. Como é que foi – para concluir aqui, pelo menos a minha parte -, como é que foi essa divulgação da Iive? O senhor teve conhecimento? Participou disso? Quem retransmitiu? Como retransmitiu?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, exatamente, eu não sei. É … é uma Iive …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Especificamente, objeto da minha pergunta: a Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) participou dessa divulgação?

    Anderson Torres, ministro da Justiça):
    Eu vi a imprensa toda lá, a imprensa mesmo… as agências, os veículos de imprensa: a CNN … eles tiveram acesso a essa Iive, e … deixa eu ver o que mais … eu
    acho que … eu não sei te dizer exatamente o que foi, mas …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Quem retransmitiu, Ministro? O senhor sabe?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Eu não acompanhei. Eu sei que é retransmitido pelo próprio… rede social do Presidente. Agora, eu não tenho 100% de certeza, por isso não vou afirmar se a
    EBC transmitiu. Ao vivo, eu não sei se transmitiu. Eu vi matéria depois e tal. Ao vivo, ao vivo, eu não sei se transmitiu.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): O senhor participou da organização da live, ou só foi comunicado dela?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Não, da organização, não. A gente chegou lá mais cedo um pouco, mas da organização, não. A gente participou… E, na verdade, Ministro, entenda: eu acompanhei toda a live, sentado fora – a live foi mais de duas horas -, ao final, o Presidente estava encerrando a live, ele me viu e me chamou. Eu participei menos de cinco minutos da Iive, eu não participei, sentado; quem ficou sentado ao lado dele foi um outro técnico. Eu fui chamado apenas ao final.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito, eu … da minha parte aqui, esgotei as minhas perguntas. Agora, vou passar ao representante do Ministério Público, Doutor Paulo Gonet. Pode fazer diretamente as perguntas.

    O Doutor Paulo Gonet Branco (vice-procurador-geral eleitoral): Muito obrigado, Ministro Luis Felipe Salomão. Eu gostaria de cumprimentar todos aqui, especialmente ao Ministro Anderson. Eu só tenho uma indagação: além do que foi apresentado como fatos e indícios, naquela live, o senhor tem conhecimento por referências do Presidente, ou de pessoas em torno do Presidente, ou das suas próprias investigações, de algum outro fato ou ind ício de violabilidade das urnas? Quer dizer:
    todos os fatos e todos os indícios que são do conhecimento do governo são aqueles  que foram apresentados na Iive?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Doutor Paulo, eu … como eu disse, eu realmente não tenho conhecimento de outras fraudes, assim, que eu pudesse trazer à tona, até porque, se tivesse, teria que encaminhar isso oficialmente à Polícia Federal, pra investigação, esse tipo de coisa. Eu não sou um profundo conhecedor da matéria. Eu … eu tenho procurado, como eu disse, me inteirar sobre isso, ler … até pra ter uma opinião própria a respeito de tudo que está acontecendo. É importante a gente realmente entender. Eu acho muito coerente o que os peritos escrevem aqui, os documentos que foram produzidos aqui pro TSE. Eu acho muito coerente. Eu sou daquela linha de que todo cuidado é pouco, principalmente nessas questões mais sérias. Mas assim, tecnicamente, eu não tenho conhecimento de outras fraudes ou de alguma coisa nesse sentido, né? Acho que … como eu disse, eu acho que o que tá escrito aqui, tá muito bem escrito e tá muito bem … se o senhor me perguntar “o que o senhor gostaria de dizer?” Eu gostaria de dizer o que está escrito aqui. Aqui, realmente, está muito bem escrito; eles relatam que por mais … eu penso isso … eu acho que a gente … quanto mais segurança pra nós, melhor … pra nós, povo brasileiro; pra nós, eleitor; pra nós, democracia …Eu acho que quanto mais, assim, a gente tiver o sistema claro … eu acho que não é assim, a gente não precisa – na minha opinião, né? -, a gente não precisa uma guerra, pra gente chegar numa … o interesse público ser prevalecido nisso aqui.

    A opinião deles é uma opinião técnica, é uma opinião de quem é pago e tem como atribuição desvendar crimes … Então, ele diz que, pra desvendar um eventual crime, ele gostaria que tivesse algo a mais. Então, é isso aqui, tecnicamente falando, o que eu tenho a dizer é exatamente isso aqui, tanto que … é como eu disse, a live durou duas horas e pouca, e eu falei quatro minutos e pouco. Esse imbróglio todo aí. .. depois eu fui ver a minha participação na live, né? Porque eu tinha que assistir, porque … eu olhei. .. eu falei: ah … é aquilo ali. Pronto e acabou.

    Doutor Paulo Gonet Branco (vice-procurador-geral eleitoral): Então … é possível dizer que quanto ao seu conhecimento dos fatos, não existiria nenhum outro, nenhuma outra prova, nenhum outro indício de fraude nas urnas, além daqueles que foram apresentados na live?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Eu … como eu te disse, a gente encaminhou os peritos ali pra uma reunião … onde eu achava que dessa reunião nós teríamos algo assim… é… eu não tive contato,
    depois, com os peritos, mas a notícia que me chegou foi que pra que eles dissessem que algo mais teria, aquele material tinha que ser encaminhado pro INC, pra Polícia
    Federal. Não sei se foi, se não foi. Então, até o momento, eu falo tecnicamente… até o momento, tecnicamente, eu não tenho nada a dizer.

    Doutor Paulo Gonet Branco (vice-procurador-geral eleitoral):  Obrigado, Ministro Anderson.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Ministro …

    O Doutor Bruno Bianco Leal (advogado-geral da união): Só agradecer. Agradecer ao nosso Procurador, que… de fato, é isso. Estamos à
    disposição do senhor e muito obrigado.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): A última … só pra reiterar: então, até o presente momento, o senhor não é
    pré-candidato a cargo eletivo?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Até o presente momento, não. Agora, várias notícias de jornal já me colocaram aí como governador, senador, deputado, deputado distrital, síndico de prédio …

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): E o senhor tem intenção de concorrer mesmo, ou isso ainda não está na sua cogitação?

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Ministro, eu estou muito concentrado na minha missão no Ministério. E, realmente, até o presente momento, não tá no radar.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Tá bem, Ministro Anderson Torres. Muito obrigado, por o senhor ter vindo. Eu acho que ficou bem
    completo aqui. Alguma coisa a mais ali? Acho que não, né? Eu vou receber o documento.

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    Eu peticiono ou eu posso deixar?

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Não, pode deixar comigo … a gente já consta aqui da …

    Anderson Torres, ministro da Justiça:
    O documento, na verdade, Ministro, ele é muito maior, muito mais … Isso aqui é o relatório … a gente pegou só o que a gente acha que … o documento que tá aqui no
    TSE, esse documento, o original, tá? Aqui, é um resumo, né? É do original, mas assim … mas são as partes que a gente acha que pode ajudar a esclarecer e ajudar a formar convicção dos senhores, em algum momento.

    Senhor ministro Luis Felipe Salomão (corregedor-geral eleitoral): Perfeito. Vou mandar juntar aqui, se proceder ao registro na ata e mandar juntar. Podemos encerrar?
    Vai tudo só no virtual, mas tem uma hora que precisa lavrar a ata aqui, pra gente colher as assinaturas.