Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vereador tem mandato cassado em primeira sessão de Cármen Lúcia como presidente do TSE

    Corte eleitoral entendeu que federação partidária não é justa causa para saída de parlamentar fora da janela partidária

    Cármen Lúcia assumiu comando do TSE pela segunda vez
    Cármen Lúcia assumiu comando do TSE pela segunda vez Luiz Roberto/Secom/TSE

    Henrique Sales Barrosda CNN São Paulo

    A primeira sessão plenária de Cármen Lúcia na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta terça-feira (4), foi marcada pela cassação do mandato de um vereador.

    Eleito em Maringá, no Paraná, em 2020, Flávio Mantovani perdeu o mandato devido ao fato de ter trocado de partido: da Rede para o Solidariedade. Atualmente, ele é filiado ao PSD.

    Mantovani havia trocado de legenda fora do período da janela partidária, visando concorrer, em 2022, a uma vaga como deputado estadual — ele não foi eleito.

    A defesa de Mantovani apresentou como justa causa para a troca fora da janela partidária o fato de a Rede ter celebrado federação com o PSOL, em 2022.

    Ainda nesta terça, antes do julgamento do até então vereador, o TSE definiu que a formação de federação não é justa causa para saídas de parlamentares fora da janela.

    Assim, a instituição de federação foi distinguida dos processos de incorporação e fusão de siglas, que geram justa causa para os parlamentares interessados na desfiliação.

    Relator do caso de Mantovani, Benedito Gonçalves, que deixou a Corte em 2023, defendeu a manutenção do mandato e foi seguido por Raul Araújo e Dias Toffoli (ministro substituto no TSE).

    Porém, Nunes Marques abriu divergência, sendo seguido por Cármen, André Ramos Tavares e Floriano de Azevedo Marques, fechando, assim, o placar em 4 a 3 pela perda.

    Nunes Marques baseou-se na decisão de mais cedo sobre as federações e apontou que não houve alterações substancias nas diretrizes partidárias da Rede.

    “A federação de partidos permite a manutenção da identidade e da autonomia de cada agremiação envolvida”, destacou Nunes Marques.

    A CNN enviou mensagem para Mantovani pedindo um posicionamento a respeito da decisão e aguarda retorno.

    Tópicos

    Tópicos