Waack: Ciro Nogueira é expoente das forças políticas tradicionais do Centrão

Nome do senador do PP como ministro-chefe da Casa Civil foi oficializado nesta quarta-feira (28)

William Waack conduz o CNN Poder, na Rádio CNN
William Waack conduz o CNN Poder, na Rádio CNN Foto: CNN Brasil

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta quarta-feira (28), na CNN Rádio, William Waack analisa a confirmação do senador Ciro Nogueira (PP-PI) como ministro-chefe da Casa Civil. A oficialização do nome de Ciro no mais poderoso ministério de Bolsonaro aconteceu nesta quarta, com a publicação da nomeação no Diário Oficial da União (DOU), e confirmou a reforma ministerial anunciada pelo presidente na última semana. 

Para Waack, a data é considerada histórica e Ciro Nogueira é um expoente das forças políticas tradicionais do Centrão. “Não da pra chamar de outra maneira a data na qual o Centrão passou a ocupar o ministério mais importante dentro do Palácio do Planalto. O ministro chefe da Casa Civil de Jair Bolsonaro, senador Ciro Nogueira, do PP, é um expoente dessas forças, até um pouco diversas entre si, que acabaram recebendo [o nome] e se tratando como Centrão.”

Segundo ele, as forças que compõem o Centrão podem ser consideradas tradicionais na política brasileira e, se aproximam da máquina pública em prol “de seus interesses paroquiais, setoriais”.

“Talvez as [forças] mais tradicionais que a gente possa designar na paisagem política brasileira e se caracterizam por aquilo que é tradicional na paisagem política, a saber, [como o] fisiologismo, oportunismo político do maior cinismo que se possa imaginar, e essa é a tendência natural desse animal político chamado Centrão.”

“Veja que animal politico aqui não tem conotação negativa, é assim que é esse animal. Ele [Centrão] se aproxima dos cofres públicos e transforma pedaços da maquina pública em ferramentas na defesa de seus interesses paroquiais, setoriais, e não estou falando de corrupção ou nada ilícito, estou falando da vida política como ela é, como ela sempre foi e continua”, avaliou. 

 

Mais Recentes da CNN