Waack: CPI da Pandemia mostra que governo federal não tem inteligência política

Apesar de ter instrumentos, ferramenta e pessoal, Planalto não consegue se contrapor à narrativa adversária, imposta na comissão por seus críticos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta sexta-feira (7), na CNN Rádio, William Waack analisa a estratégia do governo federal depois dos primeiros depoimentos na CPI da Pandemia, que ouviu nesta semana os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, além do atual titular da pasta, Marcelo Queiroga.

“O que notamos no jogo político, fora aquela coisa toda de senador aperta ministro, ministro esquiva do senador, o outro se esconde em casa dizendo que está com Covid, é que o governo não tem inteligência política”, disse Waack.

Ele afirmou que em uma situação como essa, não só no Brasil, mas em qualquer lugar do mundo, um elemento central do jogo político é fazer valer a sua narrativa e impedir que a narrativa do adversário prevaleça.

“É exatamente isso que está acontecendo em função da falta de inteligência política do governo na CPI da Pandemia. A narrativa que está predominando neste trabalho é a imposta por aqueles que são críticos ferozes”, completou.

Ele disse ainda que, apesar de o governo ter instrumentos, ferramenta, pessoal, e o que mais se imaginar, não está conseguindo se contrapor à narrativa adversária.

“As consequências a gente deixa para analisar com um pouquinho mais de calma – ainda é um pouco cedo para dizer quais seriam. Mas neste momento do jogo, é patente que falta ao governo uma centralização das suas ações e, sobretudo, inteligência e perspicácia.”

Mais Recentes da CNN