Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Waack: Fim da Lava Jato: Brasil avançou na anticorrupção?

    Para saber quem saiu vencedor e quem saiu derrotado depois desses dez anos, é necessário responder a uma pergunta: O Brasil avançou ou retrocedeu no combate à corrupção e à impunidade?

    Estátua da Justiça, em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília
    Estátua da Justiça, em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília José Paulo Lacerda/Estadão Conteúdo - 20.out.2010

    William Waack

    O momento político é feito de símbolos. E os símbolos do momento político de hoje foram três.

    O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, anulou tudo o que a Lava Jato fez contra Marcelo Odebrecht, um dos personagens centrais nos escândalos de corrupção desvendados pela operação.

    O STF extinguiu uma das penas por corrupção passiva impostas a José Dirceu, uma das maiores lideranças históricas do PT.

    Também faz parte como símbolo relevante do momento político de hoje a retomada, nesta terça-feira (21), pelo Tribunal Superior Eleitoral, do processo de cassação do senador Sergio Moro, que foi um dos principais expoentes da Lava Jato.

    O momento é claro: a Lava Jato foi enterrada enquanto operação. Mas ela foi muito mais do que uma mera investigação anticorrupção, embora tivesse revelado um monstruoso esquema de corrupção e conseguido que bilhões de reais fossem devolvidos aos cofres públicos e que alguns dos principais participantes da roubalheira fossem para a cadeia. A Lava Jato foi um fenômeno sociopolítico que continua a moldar os rumos do país.

    A Câmara dos Deputados fez um debate nesta terça-feira sobre os dez anos da Lava Jato, no qual se discutiram os erros e acertos da operação. O legado dela continua sendo disputado nos mais ácidos termos entre os que julgam que foi um dos maiores erros jurídicos da história do Brasil e os que lamentam seu fim, chamando-o de triunfo dos poderosos e da nossa proverbial impunidade.

    Do ponto de vista político – não estou falando do lado jurídico –, para saber quem saiu vencedor e quem saiu derrotado depois desses dez anos, é necessário responder a uma pergunta: O Brasil avançou ou retrocedeu no combate à corrupção e à impunidade?