Waack: Membros do MP ganharam posição que a classe política não gostou

Associações são contra a proposta que tramita na Câmara dos Deputados sobre mudanças no Conselho Nacional do Ministério Público

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta quinta-feira (14), na CNN Rádio, William Waack fala sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe mudanças no Conselho Nacional do Ministério Público.

A proposta tramita na Câmara dos Deputados, associações e membros do MP são contrários ao texto. Para Waack, a política dos últimos dez anos “foi uma enorme campanha anticorrupção e seus principais expoentes eram, entre outros, tinha também juiz de primeira instância, o Moro, promotores e procuradores.”

No entanto, a classe política não gostou da exposição destes membros do MP, na avaliação de Waack. “Eles ganharam, em relação a classe política, uma posição que a classe política não gostou nenhum um pouco – e com sua razão também.”

“Eles [membros do MP] passaram a controlar a instância da política, afinal de contas na nossa Constituição Federal, as respostas que a sociedade precisa tem de ser encontradas na esfera da política através do consenso, do voto e da negociação, mas diante da nossa corrupção, isso passou a ser exercitado pelos ‘homens de preto’ que protegem uma sociedade que, na visão deles, sozinha não consegue se proteger”, avaliou Waack.

A PEC conta com o apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). “Este é o pano de fundo da atuação da Câmara, tratorada pelo presidente Arthur Lira, para mexer com autonomia do Ministério Público.”

Mais Recentes da CNN