Coronavírus: exames indicam contaminação em cachorro em Hong Kong


28 de fevereiro de 2020 às 10:29
Funcionário de laboratório na China

Funcionário de laboratório veste traje de proteção em Qinhuangdao, na China

Crédito: China Daily / Reuters (11.fev.2020)

HONG KONG - O governo de Hong Kong informou nesta sexta-feira, 28, que colocou em quarentena um cachorro, cujo dono foi diagnosticado com o novo coronavírus (COVID-19). A medida foi adotada após testes indicarem resultado positivo para a doença, segundo um comunicado do Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação (AFCD) do país. 

O animal já foi retirado da casa onde vivia, localizada na região de Tai Hang e enviado para um local perto do porto de Hong Kong, onde passará por mais exames. O cão não apresentou sintomas, mas teve amostras nasais e orais testadas e indicadas como “positivo fraco”. 

O AFCD afirmou, na nota, que conduzirá mais testes para determinar se o cachorro foi infectado com o vírus ou se as amostras indicarão contaminação do ambiente. 

As autoridades lembraram que não há evidências de que o COVID-19 pode ser transmitido a animais domésticos, como cães e gatos, mas recomendam sempre lavar as mãos com água e sabão após o contato com eles.

O cão permanecerá em quarentena e vigilância veterinária por 14 dias, de acordo com o AFCD.