Arquidiocese de São Paulo cria comissão para combater a pedofilia


Da CNN Brasil, em São Paulo
05 de março de 2020 às 16:45

A Arquidiocese de São Paulo anunciou, na manhã desta quinta-feira (5), a criação de uma comissão para proteger crianças e adolescentes e pessoas vulneráveis contra a violência sexual. Além de abuso sexual e estupro, outro foco de atuação do grupo será a produção, distribuição e consumo de materiais pornográficos.

O grupo, que começa a trabalhar na próxima segunda-feira (5), contará com um coordenador e outros oito membros, entre clérigos, religiosos, leigos, peritos do Direito Canônico, Civil e Penal, psicologia, assistência social e pastoral, todos nomeados pelo arcebispo metropolitano. Os integrantes deverão se reunir a cada duas semanas, para avaliar as denúncias recebidas.

Depois de recebê-las e analisá-las, o próximo passo é encaminhar ao arcebispo um relatório detalhando os fatos relatados pelo denunciante. Além de registrar as denúncias, a comissão arquidiocesana terá como atribuição indicar formas de acolher as vítimas e prestar assistência pastoral, espiritual e psicológica. Esta recomendação também será apresentada ao arcebispo

A criação da comissão cumpre uma determinação definida pelo Papa Francisco. Na carta apostólica, escrita em  maio de 2019, constam normas de prevenção e combate à violência sexual infantil cometida por clérigos e membros de Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica.