Ministério da Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil


14 de março de 2020 às 15:30
Luiz Henrique Mandetta em coletiva sobre coronavírus

Luiz Henrique Mandetta em coletiva sobre coronavírus em Brasília (26.fev.2020)

Crédito: Reprodução/NBR

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, confirmou, em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (26), o primeiro caso de coronavírus no Brasil. O paciente é um homem de 60 anos, morador de São Paulo que retornou da Itália na última semana. "O caso está confirmado", afirmou o ministro. "Agora nós vamos ver como esse vírus vai se comportar num país tropical, em pleno verão", completou.

De acordo com Mandetta, o paciente chegou ao Brasil assintomático, passou o fim de semana com familiares e buscou ajuda médica no Hospital Israelita Albert Einstein na segunda-feira (23), quando a equipe médica relacionou os sintomas com o quadro de coronavírus e fez exames que apontaram o diagnóstico. 

O resultado foi submetido a contraprova do Instituto Adolfo Lutz - que, segundo o ministro, confirmou o resultado em tempo hábil. "O pronto atendimento e o padrão de excelência que foi dado no atendimento do hospital Albert Einstein foi digno de nota porque coletou o material e adotou o mesmo padrão excelência", afirmou Mandetta.

De acordo com o ministério, o país tem, até esta quarta-feira (26), 80 notificações de suspeitas de coronavírus, sendo um caso confirmado em São Paulo e outros 20 em análise distribuídos por Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Espírito Santo, Paraíba e Pernambuco. Ha ainda 59 casos descartados. A pasta informa que as notificações têm sido avaliadas no prazo médio de três dias, mas esta análise pode se estender por até oito dias para ser concluída. 

A orientação da pasta, segundo o ministro, é dar atenção aos cuidados com higiene pessoal: usar álcool em gel, aumentar o número de vezes que se lava as mãos e não compartilhar itens pessoais (como talheres e copos), além de manter-se hidratado e evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

O novo coronavírus tem mais de 81 mil casos confirmados pelo mundo até o fim da manhã desta quarta-feira, 26. Desses, 78.064 foram registrados somente na China, onde a doença deixou 2.715 mortos - a maior parte na província de Hubei (2.615). 

Medidas do governo

Mandetta destacou que o governo federal está tomando providências para diferentes cenários, incluindo a compra de máscaras de proteção e o aluguel de até mil leitos de Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTIs). "Se tivermos pressão sob leitos de cuidado intensivo, fizemos a licitação para alugar conforme a nossa necessidade", explicou. 

O ministro ainda garantiu o abastecimento de quaisquer medicamentos que sejam necessários, mas frisou que "o arsenal é basicamente de suporte", já que ainda não há remédio contra o vírus.

Ele ainda acrescentou que o coronavírus "é mais uma gripe que a humanidade vai ter que atravessar" e que "a medida mais eficaz nessa primeira etapa é nós termos agilidade".

"A H1N1, com certeza, foi uma epidemia com um perfil mais grave do que essa que se apresenta agora. Foi uma situação de profundo estresse no sistema", afirmou Mandetta. "A população brasileira terá todas as informações que sejam necessárias para que cada um tome suas devidas precauções", declarou. 

O que se sabe até agora

Conforme informações do ministério, o paciente monitorado é um empresário de 61 anos, morador de São Paulo e que esteve na Itália a trabalho entre 9 a 21 de fevereiro.

Ele apresentou sintomas como febre, tosse seca, dor de garganta e coriza no dia 23. Além disso, o homem tem histórico de doença cardiovascular e hipertensão.

As secretarias estadual e municipal de São Paulo trabalham para identificar os contatos que ele teve com outras pessoas na casa dele, no hospital e no voo de retorno ao Brasil. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e a companhia aérea utilizada por ele estão auxiliando nos trabalhos.

O hospital Albert Einstein disse, em um comunicado, que o paciente chegou à unidade do Morumbi na noite de terça-feira com sintomas semelhantes aos do Covid-19 (nome oficial do coronavírus), e o caso foi reportado à Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo. 

Suspeita em Pernambuco

Uma mulher de 51 anos, que estava na Itália, desembarcou na cidade do Recife em um voo com conexão em São Paulo, apresentando sintomas da doença. Neste caso, no entanto, ainda não há diagnóstico laboratorial da doença. 

Ela recebeu os primeiros atendimentos da Anvisa ainda no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes e foi levada de ambulância para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz.