Coronavírus: ibuprofeno e cortisona não são recomendados para sintomas


Jéssica Otoboni Da CNN Brasil, em São Paulo
16 de março de 2020 às 10:54
Voluntário da Cruz Vermelha compra medicamentos na Itália

Voluntário da Cruz Vermelha compra medicamentos para as pessoas que não podem sair de casa em Castiglione della Pescaia, na Itália

Foto: Jennifer Lorenzini - 12.mar.2020/Reuters

Diante da pandemia do novo coronavírus pelo mundo, as pessoas procuram as mais diversas formas para tentar se proteger. Nos últimos dias, aumentaram as buscas na internet sobre o uso de anti-inflamatórios, como ibuprofeno e cortisona. 

No sábado (14), o ministro da Saúde da França, Olivier Véran, disse que não se deve utilizar esse tipo de medicamento se o paciente apresentar sintomas do COVID-19. Na realidade, o uso dessas substâncias pode acabar piorando o estado de saúde da pessoa.

“Tomar anti-inflamatórios (ibuprofeno, corticoide…) pode ser um fator agravante para a infecção. Se você tiver febre, tome paracetamol”, disse Véran em sua conta oficial no Twitter.

A médica infectologista Roberta Schiavon, consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), alerta que, apesar dos poucos dados existentes, o uso de anti-inflamatórios não ajuda na prevenção ou cura do COVID-19.

Ela explica que os estudos ainda são preliminares, mas o que se detecta é que substâncias como o ibuprofeno podem levar a uma piora do estado de saúde da pessoa que apresentar os sintomas, já que “facilita a penetração do vírus no organismo”.

No caso do corticoide, a infectologista afirma que também não deve ser utilizado, pois o sistema imunológico do paciente fica mais comprometido. Para quem faz tratamento a base desse medicamento, a recomendação de Schiavon é conversar com um médico para avaliar a situação e ver o que é mais seguro a ser feito.

Estudo científico

O ministro francês fez o alerta sobre os anti-inflamatórios após a publicação, no dia 11 de março, de três estudos pela revista científica The Lancet, referência no setor. Eles apontam para os riscos de utilizar essas substâncias pois elas facilitariam a infecção por COVID-19.

A pesquisa apontou ainda que o uso de anti-inflamatórios por pessoas que tratam diabetes ou hipertensão pode potencializar o risco de contrair o novo coronavírus.