Cresce a busca por hidroxicloroquina e Anvisa faz alerta


Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 10:08

Após o governo americano anunciar, na quarta-feira (19), que a Hidroxicloroquina pode ter eficácia contra o coronavírus – mesmo ainda sem evidências sustentáveis –, a procura pela droga aumentou e o medicamento tem sumido das prateleiras. A Anvisa não recomenda a utilização do produto.

Conforme a CNN apurou, foram feitas pesquisas em, pelo menos, seis farmárcias na cidade do Rio de Janeiro e o medicamento está desfalcado nos estabelecimentos procurados. Segundo funcionários, a medicação, que custa, em média R$90, não é muito procurada e, por este motivo, não há estoque o suficiente e, consequentemente, os laboratórios não produzem em grande escala. 

Em nota, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa que esses medicamentos são registrados para o tratamento da artrite, lúpus eritematoso, doenças fotossensíveis e malária e que, apesar de promissores, 'não existem estudos conclusivos que comprovam o uso desses medicamentos para o tratamento da Covid-19'.

Além dos Estados Unidos, outros países estão fazendo testes com o remédio, como a China, Austrália e França.