'O que for preciso para evitar mortes, será feito', diz David Uip


Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 14:27
 

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (20), o infectologista David Uip, que coordena a equipe de combate à pandemia do novo coronavírus no Estado de São Paulo, comentou sobre as novas medidas que foram anunciadas pelo governador, João Doria (PSDB), durante coletiva. 

Questionado sobre o aumento do número de casos suspeitos, o médico afirmou que os dados já eram esperados. "Epidemia é assim, você começa com uma base e de repente tem um aumento constante diário e, depois, um pico que ainda não chegou".

Ao mencionar o estado de calamidade, Uip reforçou que a medida não é para criar pânico. "Quando você institui o estado de calamidade, você apressa as contratações, agiliza as licitações e fica mais simples."

O aumento de fluxo de hospitais também foi avaliado pelo infectologista, que já considerava previsto. "Nós vamos ter obviamente um fluxo de pacientes graves nos hospitais. É questão de horas para que aumente nos hospitais públicos."

Sobre a previsão para o pico da doença, entre abril e maio, em São Paulo, Uip ponderou a respeito da possibilidade de novas medidas. "As decisões são diárias e elas são motivadas pelos aspectos científicos e pela história recente, que aconteceu em outros países. E nós não hesitaremos. O que for preciso, será feito para evitar mortes", enfatizou.