Como manter a saúde mental em meio à pandemia? Psiquiatra responde

Especialista também deu dicas de como ajudar idosos a superarem o momento de distanciamento social

Da CNN, em São Paulo
28 de março de 2020 às 14:52 | Atualizado 24 de setembro de 2020 às 19:14

A ansiedade pode aflorar em uma situação de isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus. Para especialistas, é importante não criar motivos para pânico. Buscar informações certificadas pode ser um bom caminho. Em meio à pandemia, casos de ansiedade e de outros transtornos têm sido relatadas por pessoas em isolamento. 

Em entrevista à CNN, o psiquiatra Primo Paganini listou dicas para que o período não seja um tormento para algumas pessoas e defendeu a utilização das mídias sociais para diminuir a solidão. "De acordo com o Centro de Controle de Doenças e Prevenção, dos Estados Unidos, usar as redes sociais, telefone e vídeoconferência é fundamental para manter o contato com outras pessoas. Temos que nos infromar bem, mas com os canais oficiais", afirma. Paggini também alertou para o aumento de casos. "Transtorno do obsessivo compulsivo, pânico e ansiedade generalizada. Muitos pacientes pedidaram consultas extras por conta disso".

Entre as recomendações do especialista, está a dieta adequada, sete horas de sono, realização de exercício físico, hidratação constante e tentar, ao máximo, ter uma rotina mais próxima da normalidade.

Paganini recomendou a utilização de videochamadas. "As chamadas de vídeo estimula a sensação de proximidade. Continue com hobbies e ecolocar em dia os livros e filmes que gostamos", disse. Em quadro de ansiedade extrema, impossível de ser controlada, a busca de ajuda médica é recomendada. 

Manter um ritmo de vida saudável também é essencial para a quarentena, principalmente para os idosos, que estão listados no grupo de risco. "Devemos aumentar ainda mais o contato que a gente tinha com os idosos da nossa família. Tenham muito contato com os idosos através do telefone, tenha paciência de ensinar a vídeoconferência. Façam contato várias vezes por dia, pois isso quebra muito a sensação de isolamento e distanciamento", argumenta. 

Para pais que estão em casa com crianças e adolescentes, a dica é estimular brincadeiras e conversas saudáveis. Tais ações auxiliam no estreitamento das relações. "Crie uma programação diária com as crianças, seguindo uma rotina. Troquem experiências, desenhem e brinquem juntos. As pessoas que exercitam a criativdade passam muito melhor por esse periodo de isolmamento.", conclui