Quatro das maiores comunidades do Rio já confirmaram mortes por COVID-19

Rocinha, Manguinhos, Maré e Vigário Geral já tiveram vítimas do novo coronavírus

Estadão Conteúdo
08 de abril de 2020 às 21:16
Moradores de comunidades do Rio se preocupam com condições de combate ao novo coronavírus
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Quatro das maiores comunidades do Rio já tiveram pelo menos seis mortes confirmadas por COVID-19. Rocinha, Manguinhos, Maré e Vigário Geral somam 23 casos registrados da doença até esta quarta-feira (8).

A chegada da epidemia nas comunidades é um dos maiores temores das autoridades de saúde. As favelas não costumam ter saneamento básico, as ruas são muito estreitas e, em geral, muitas pessoas dividem a mesma casa, propiciando a disseminação da doença.

Leia também:

Renda e alimentação pioraram em favelas durante pandemia, mostra levantamento

Pesquisa aponta que 92% das mães nas favelas não vão conseguir comprar comida

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, foram duas mortes na Rocinha, na zona sul, outras duas em Vigário Geral, uma em Manguinhos e uma na Maré, todos na zona norte.

Por enquanto, a grande maioria dos 1.449 casos da doença no município está concentrada nos bairros mais ricos, na zona sul e na zona oeste. O número de mortes é de 73. No entanto, os dados indicam que já começam a se espalhar nas comunidades mais pobres.

A Secretaria Estadual de Saúde havia divulgado na manhã desta quarta um número diferente, em que apenas na Rocinha haveria cinco vítimas. No fim da tarde, a secretaria disse que houve um erro na elaboração das tabelas e, onde se lia mortes, na verdade era os número de casos com comorbidades —como são chamadas as doenças pré-existentes.