Psiquiatra dá dicas de como manter a sanidade mental na quarentena

Ajudar ao próximo e não se isolar traz benefícios para o cérebro, afirma Primo Paganini

Da CNN, em São Paulo
13 de abril de 2020 às 00:05

Como manter a saúde mental e o equilíbrio emocional durante a quarentena? O psiquiatra da USP Primo Paganini dá dicas para quem está estranhando o período em que está sendo obrigado a ficar mais tempo em casa por conta da pandemia do novo coronavírus.

"A ideia é levar a vida o mais próximo possível do normal usando a tecnologia. Mas não apenas chamadas por telefonema, mas cada vez mais videoconferências para enxergar as pessoas e tentar interagir com essas imagens, deixando assim a vida o mais perto possível do normal na quarentena", indica.

Ele conta que não se deve ter vergonha de procurar profissionais de saúde caso não se sinta bem. "Os psicólogos, psiquiatras e psicanalistas vão ser peça-chave para conseguir lidar. O CDC, Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, mostra que há aumento de incidência de depressão, ansiedade generalizada, estresse pós-traumático e síndrome do pânico. Buscar ajuda acima de tudo é um sinal de fortaleza, jamais de fraqueza", afirma.

Paganini enumera os benefícios de não se isolar nessa fase. "Se fosse para vivermos sozinhos, cada um teria uma ilha para si. Ajudar o outro é ajudar a si próprio. Aquele que ajuda o próximo tem menos inflamação, menos doenças autoimunes, existe um nascimento de novos neurônios no cérebro, em um processo que chama neurogênese".