Com pandemia, busca por consultas médicas virtuais cresce até 15 vezes no país


Da CNN em São Paulo
15 de abril de 2020 às 13:57 | Atualizado 15 de abril de 2020 às 14:09

O isolamento social mudou a rotina não só dentro de casa, mas também nas empresas de diversos setores. A procura por teleatendimentos na área da saúde tem feito as operadoras de plano de saúde se adaptarem ao novo cenário. 

A regulamentação da modalidade foi oficializada no mês passado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério da Saúde. As consultas médicas remotas servem como triagem no meio dessa pandemia

De acordo com as maiores operadoras de plano de saúde do país, a procura pela modalidade teve um aumento significativo desde o início regular de sua atividade. Para a Amil, por exemplo, esse tipo de atendimento cresceu em até seis vezes. Na operadora SulAmérica a procura foi ainda maior, de 15 vezes, e cerca de 56 mil teleconsultas foram realizadas pela Prevent Senior neste período. 

Leia também:

Conselho Federal de Medicina autoriza telemedicina durante surto do coronavírus
Secretário de Saúde, Wanderson Oliveira pede demissão
'Estamos em operação de guerra e temos falta de tudo', diz médica sobre COVID-19


Para auxiliar a população que não tem acesso aos planos de saúde, o Ministério da Saúde lançou a plataforma TeleSUS, que auxilia no combate ao novo coronavírus disponibilizando teleconsultas virtuais. 

Até o momento, 5,7 milhões de pessoas já buscaram os serviços do TeleSUS. Deste total, 2,4 milhões de pessoas já foram avaliadas sobre os sintomas do coronavírus, sem precisarem sair de casa, sendo que 92,5% foram consideradas saudáveis, 4,1% de baixo risco, 1% de risco moderado e 2,4% de risco alto.

É possível acessar o TeleSUS por telefone (ligando para o Disque Saúde 136); por um chat disponível na página do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br); ou pelo aplicativo Coronavírus SUS.