Ocupação de leitos de UTI está acima de 90% em dois estados e três capitais


Da CNN, em São Paulo
19 de maio de 2020 às 05:00
Hospitais, UTI, Porto Alegre, profissionais de saúde, enfermeiros, médicos

Profissionais de saúde cuidam de paciente em UTI durante a pandemia de coronavírus. Porto Alegre, 17 de abril de 2020.

Foto: Diego Vara/Reuters

Conforme a pandemia do novo coronavírus ganha contornos mais graves no Brasil, com crescimento acelerado no ritmo de casos e de mortes em decorrência da doença registradas, a ocupação dos leitos de UTI para o atendimento da Covid-19 também cresce. Novo levantamento da CNN com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais mostra que ao menos dois estados e três capitais brasileiras estão com a ocupação acima de 90%.

O Rio Grande do Norte aparece como situação mais grave, em que 100% dos leitos de UTI para o tratamento da Covid-19 na região metropolitana de Natal e 90% na região oeste da capital estão ocupados. Na sequência das colocações indesejadas, aparecem o estado de Pernambuco (96%), e as cidades de São Luís/MA (94,31%), Fortaleza/CE (92,53%) e São Paulo/SP (91%).

Assista e leia também:

Brasil passa Reino Unido e se torna o terceiro país com mais casos de Covid-19

Ministro da Saúde precisa ser médico? Secretário defende general como interino

No estado do Rio de Janeiro, há 335 pessoas confirmadas ou suspeitas de terem contraído o novo coronavírus aguardando transferência para leitos de UTI. Apesar disso, o RJ fica fora da lista acima porque formalmente sua ocupação está em 86%.

Essa diferença se deve ao fato de haver uma vacância rotativa, em razão de mortes, leitos reservados para pacientes em observação e outros com alta recente. Portanto, uma margem estreita representa na prática um cenário próximo ao do esgotamento.

Além do estado do Rio, aparecem na faixa acima dos 80% outros três estados brasileiros. Se Fortaleza passa dos 92%, o Ceará como um todo está em 86,96%. Estão também acima desta marca os estados de Acre (84,8%) e Pará (83,52%).

Na outra ponta, o estado do Mato Grosso do Sul é o que tem o menor registro de casos, com 1,4% dos leitos de UTI ocupados. Também fica abaixo de 10% o estado de Minas Gerais, com 8% da ocupação das unidades de cuidados intensivos.