Pazuello encontra empresários em SP para pedir ajuda na compra de insumos

Essa é a primeira missão dele fora de Brasília, desde o pedido de demissão do oncologista Nelson Teich há duas semanas

Natália André Da CNN, em Brasília
29 de maio de 2020 às 09:50
O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, participa da 73ª Assembleia Geral da Saúde
Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, passou a quinta-feira (28) se reunindo com empresários em São Paulo para pedir ajuda na compra de equipamentos e de estruturas para a prevenção e o combate do novo coronavírus no Brasil. Essa é a primeira missão dele fora de Brasília, desde o pedido de demissão do oncologista Nelson Teich há duas semanas.

O primeiro encontro foi em um almoço na FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a convite do presidente do órgão, o empresário Paulo Skaf. Lá, ele discutiu como a iniciativa privada poderia ajudar o Ministério da Saúde a conseguir atender às demandas dos equipamentos através de doações e apoio na compra desses insumos.

Houve também reunião com integrantes do programa Todos pela Saúde, do banco Itaú, para definir uma estratégia conjunta de divisão do recurso de R$ 1 bilhão doado pela instituição financeira no meio de abril. De acordo com a assessoria do MS, foi fechado um roteiro das próximas atividades como apoio à região Norte, que é uma das mais afetadas pela doença e que começa a ver o vírus a crescer no interior.

O Todos pela Saúde também tem o apoio do Hospital Sírio Libanês. Lá, Pazuello conversou com a diretoria executiva sobre um possível atendimento de pacientes vindos do SUS necessitados de leitos de UTI. O hospital é um dos cinco integrantes do Proadi-SUS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde), que faz jus à Certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social em Saúde (CEBAS). Também devem participar dessa ação dos leitos de UTI com o MS os outros membros: Hospital Moinhos de Vento, Albert Einstein, Oswaldo Cruz e HCor.

O ministro interino vem se comunicando com São Paulo não só através do secretário Estadual de Saúde, José Henrique Germann, mas também por ligações telefônicas com o próprio governador João Doria. O estado é o epicentro do número de casos e mortes no Brasil.

Nesta sexta-feira (29), Pazuello cumpre agenda no Rio de Janeiro visitando, principalmente, a Fundação Oswaldo Cruz, para discutir a questão da vacina contra a COVID-19. Na terça (26) e na quarta (27) desta semana, o ministro visitou hospitais de campanha em Manaus (AM), onde inaugurou uma ala exclusiva para pacientes indígenas, e em Belém (PA). Ele volta à Brasília no final de semana e parte para uma segunda missão no Norte, por Roraima e Amapá na próxima semana.