EUA preveem milhões de doses de vacina contra Covid-19 até o início de 2021

Diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, se diz otimista com testes conduzidos pela farmacêutica Moderna

Por Jen Christensen, da CNN
03 de junho de 2020 às 05:44 | Atualizado 03 de junho de 2020 às 06:01
O médico conselheiro da Casa Branca Anthony Fauci em audiência no Senado
O médico conselheiro da Casa Branca Anthony Fauci em audiência no Senado via teleconferência
Foto: Reprodução (12.mai.2020)
 

Os EUA devem ter 100 milhões de doses de uma vacina contra o coronavírus até o início de 2021, afirmou nesta terça-feira (2) Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) e membro da força tarefa de coronavírus da Casa Branca. 

"Então, no início de 2021, esperamos ter algumas centenas de milhões de doses", disse Fauci, durante uma sessão ao vivo de perguntas e respostas no Journal of the American Medical Association.

Fauci disse que a primeira vacina candidata, feita pela empresa de biotecnologia Moderna em parceria com o NIAID, deve entrar em uma fase final de testes em voluntários, conhecidos na indústria como Fase III, no meio do verão americano (em julho). Os preparativos em áreas nacionais e internacionais já estão em andamento, disse ele. "O objetivo real de tudo isso será a Fase III, que começa na primeira semana de julho, espero", disse Fauci. 

Leia também:

Pentágono prevê vacina contra Covid-19 até o fim do ano

Moderna anuncia início de vacinas testes e Sanofi interrompe uso de cloroquina

Covid-19: vacina da farmacêutica Moderna tem resultado positivo; ações disparam

Testes

A fase III envolverá cerca de 30.000 pessoas. A vacina será testada em pacientes entre 18 e 55 anos de idade, bem como em idosos e em pessoas com condições de saúde subjacentes. "Será todo o espectro", disse Fauci.

Fauci afirmou que a Fase II dos testes começou há alguns dias. Algumas centenas de voluntários estarão envolvidos nessa etapa. 

O plano é fabricar doses da vacina antes mesmo de ficar claro se as vacinas funcionam, fazendo cerca de 100 milhões de doses até novembro ou dezembro, disse Fauci. É assim que, se funcionar, pode ser implantado rapidamente.

Os cientistas devem ter dados suficientes até novembro ou dezembro para determinar se a vacina funciona, disse Fauci. O teste da AstraZeneca em andamento no Reino Unido seguirá um cronograma semelhante. Outros estudos de vacinas devem começar apenas um a dois meses depois disso, disse ele.

"Estou cautelosamente otimista de que, com os vários candidatos que temos com plataformas diferentes, teremos uma vacina que a tornará implantável", disse Fauci. Ele está otimista, disse ele, porque, embora o número de mortes por Covid-19 seja "profundo", na maioria dos casos as pessoas se recuperam da doença. A recuperação mostra que há uma resposta imune que pode eliminar o vírus.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês).