Brasil confirma 1.005 mortes por Covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde


Guilherme Venaglia, da CNN em São Paulo
05 de junho de 2020 às 22:23 | Atualizado 05 de junho de 2020 às 23:44
Profissional de saúde segura bandeja com amostras para testes

Profissional de saúde segura bandeja com amostras para testes

Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters (19.mar.2020)

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira (5) mais 1.005 mortes decorrentes da Covid-19 no país. Foram registrados nas últimas 24 horas um total de 30.830 casos confirmados da doença do novo coronavírus.

Somando-se os números desta sexta com o acumulado até quinta-feira (4), o Brasil tem 35.026 mortes decorrentes da Covid-19. O número de casos, também pela mesma metodologia, é de 645.771 diagnósticos.

Esta é a primeira vez, desde o início da pandemia, que a pasta não informa oficialmente os números totais de casos e mortes relacionadas à doença no país. O site Coronavírus Brasil, que também disponibiliza as informações, estava fora do ar por volta das 22h30, constando como "portal em manutenção".

Coronavírus Brasil

Site Coronavírus Brasil "em manutenção" no momento de divulgação dos dados de Covid-19 no Brasil

Foto: Reprodução

A mesma métrica, de não informar o total de casos e mortes, apenas as oscilações dos registros diários, foi aplicada aos estados. O Ministério da Saúde também omitiu outras quatro informações, em comparação com o boletim anterior:

1 - O número total de casos em acompanhamento;

2 - O número total de recuperados. Esta informação era apresentada como "estimativa sujeita a revisão". Foi incluída a oscilação no número em relação ao dia anterior, mas sem esta observação.

3 - As mortes, dentre as confirmadas, que ocorreram nos últimos 3 dias;

4 - As mortes em investigação. Que são os óbitos já ocorridos, mas que aguardam resultado de testes para a Covid-19. 

Boletim Coronavírus - 05/06

Boletim Coronavírus - 05/06

Foto: Ministério da Saúde

Os dados foram divulgados às 22h, e não às 19h, como vinha ocorrendo desde que o ex-ministro Nelson Teich assumiu o cargo em abril, pelo terceiro dia consecutivo. Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a divulgação mais tarde servia para informar os "dados consolidados".

Aos jornalistas no Palácio da Alvorada nesta noite, o presidente disse que "não interessa" saber de onde partiu a ordem para a mudança no horário de divulgação. "Olha, não interessa de quem partiu. Acho que é justo sair dez da noite. Sair o dado completamente consolidado", afirmou.