Uso generalizado de máscaras pode prevenir segunda onda de Covid-19, diz estudo


Kate Kelland da Reuters
09 de junho de 2020 às 22:11
Uso de máscaras pode impedir uma segunda onda de coronavírus pelo mundo

Uso de máscaras pode impedir uma segunda onda de coronavírus pelo mundo

Foto: Ajeng Dinar Ulfiana/Reuters

O uso generalizado de máscaras faciais poderia manter a transmissão da Covid-19 em níveis controláveis de epidemias nacionais e poderia prevenir ondas futuras da doença pandêmica se combinadas com lockdowns, de acordo com um estudo britânico publicado nesta terça-feira (9).

A pesquisa, liderada por cientistas nas Universidade de Cambridge e de Greenwich, sugere que os lockdowns apenas não irão impedir o ressurgimento do novo coronavírus SARS-CoV-2, mas que até mesmo as máscaras caseiras podem reduzir dramaticamente as taxas de transmissão se um número suficiente de pessoas as utilizarem em público.

Leia também:

Pesquisadores querem usar vacina da pólio no combate à Covid-19

Ministério da Saúde confirma mais 32 mil casos e 1.272 novas mortes por Covid-19

"Nossas análises apoiam a adoção imediata e universal de máscaras faciais por toda a população", disse Richard Stutt, que co-liderou o estudo em Cambridge.

Ele diz que as conclusões mostram que, se o uso generalizado de máscara for combinado com o distanciamento social e algumas medidas de lockdown, isso poderia ser uma maneira aceitável de administrar a pandemia e a reabertura das atividades econômicas" muito antes do desenvolvido e da disponibilização de uma vacina contra a Covid-19, a doença respiratória causada pelo coronavírus.

Os achados do estudo foram publicados na revista científica "Procedimentos da Sociedade Real A".

A Organização Mundial da Saúde atualizou sua orientação na última sexta-feira para recomendar que os governos peçam que todos utilizem máscaras faciais de tecido em áreas públicas onde existam riscos para assim reduzir a propagação da doença.