Rio de Janeiro registra primeira morte por raiva humana em 14 anos

Vítima é adolescente de 14 anos, morador de Angra dos Reis, na Costa Verde

Fabrício Julião, da CNN, em São Paulo
17 de junho de 2020 às 17:50 | Atualizado 17 de junho de 2020 às 18:52
O Instituto Smithsonian realiza amostragem de morcegos em Myanmar e no Quênia
Secretaria de Saúde do Rio informou que há indicativo no Ministério da Saúde do envio de vacina antirrábica animal, para realização de campanha contra a doença até novembro.
Foto: Instituto Smithsonia/ Divulgação
O estado do Rio de Janeiro registrou a primeira morte por raiva humana após 14 anos. A vítima é um adolescente de14 anos, morador de Angra dos Reis. A secretaria de Saúde do Rio de Janeiro afirmou que emitiu um alerta, na segunda-feira (15), para todos os municípios cariocas sobre a ocorrência. 

De acordo com a secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, o jovem foi mordido por um morcego no fim de janeiro e não compareceu à unidade de saúde para administração das doses da antirrábica. 

Leia também:

Os caçadores de vírus que estudam morcegos para prever a próxima pandemia

Seis razões para não ser inimigo dos morcegos

Os registros apontam que no dia 22 de fevereiro o adolescente começou a apresentar os sintomas da doença, sendo internado no dia 7 de março. Cinco dias após a internação, ele foi transferido para a UTI do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG/UFRJ), com suspeita de raiva humana. 

A confirmação do diagnóstico foi obtida no dia 20 de março, por meio do exame RT-PCR. O jovem morreu 10 dias depois. 

Foi realizada uma reunião com representantes das 92 secretarias municipais do estado, no dia 10 de junho, para alertar sobre os protocolos de segurança estabelecidos pelo Ministério da Saúde para evitar casos de raiva e a necessidade de manter equipes de vigilância locais capacitadas. 

A última morte por raiva humana no estado do Rio de Janeiro ocorreu em 2006. A partir desta nova ocorrência, a Secretaria de Saúde do Rio informou que há indicativo no Ministério da Saúde do envio de vacina antirrábica animal, para realização de campanha no estado contra a doença até novembro deste ano.