Pesquisadores britânicos usam método inédito na produção de vacina da Covid-19

Enquanto cientistas correm para encontrar uma vacina eficiente contra a Covid-19, uma das esperanças pode estar no laboratório do Imperial College, de Londres

Da CNN
30 de junho de 2020 às 14:56 | Atualizado 30 de junho de 2020 às 16:38
 
 

Uma substância contra o novo coronavírus em desenvolvimento no Imperial College, de Londres, já se mostrou segura em testes de laboratório e em animais. Agora, recebeu o sinal verde de autoridades britânicas para ser testada em humanos. 

A maioria das formas de imunização tradicional tem como base uma versão enfraquecida ou modificada do vírus. Mas a do Imperial College tem uma outra abordagem. Ele usa material sintético que imita o código genético do novo coronavírus. 

Leia e assista também

Grupo chinês diz que vacina contra Covid-19 mostra completa eficácia

Covid-19: testes preliminares da vacina de Oxford chegam a 90% de proteção

Imunologista explica como serão os testes da vacina de Oxford contra a Covid-19

Quando é injetada no corpo, a substância se multiplica e ensina o organismo a fazer cópias de uma proteína encontrada na superfície do novo coronavírus, oque gera uma resposta do sistema imunológico. É como se a vacina treinasse o corpo humano para reconhecer o novo coronavírus e se defender dele no futuro.  

A chefe do laboratório de imunologia do Imperial College, Hannah Cheeseman, explica que a equipe dela vai analisar se a substância é bem tolerada pelo organismo e se produz uma resposta imunológica efetiva contra o vírus. “Se os resultados forem positivos, nos próximos meses, a vacina passará para um estágio mais avançado de testes, que vai envolver 6 mil pessoas”, ela afirma.

O projeto recebeu um investimento de 46 milhões de libras, do governo britânico e também de doações particulares. O diferencial dessa vacina é a maneira como ela funciona. Nas próximas semanas, 300 pessoas vão receber duas doses da vacina. Uma das voluntárias, Kate, conta que essa foi a forma que ela encontrou de ajudar o mundo a combater a pandemia.