Imunidade contra a Covid-19 pode ser duradoura, diz estudo

Cientistas analisaram amostras de sangue de 23 pessoas que se recuperaram de Sars, doença causada por vírus semelhante ao coronavírus

Da CNN
17 de julho de 2020 às 18:42

Pesquisadores de todo o mundo tentam entender como o corpo pode responder à Covid-19. Cientistas de Singapura publicaram nesta semana um estudo na revista científica Nature indicando que a imunidade contra a doença pode durar um longo período.

Eles analisaram amostras de sangue de 23 pessoas que se recuperaram da Sars (síndrome respiratória aguda grave) na pandemia que aconteceu em 2003, e observaram que eles ainda estão imunes contra a doença. Segundo a pesquisa, o que garantiu a imunidade não foram anticorpos, e sim células T -- outro tipo de mecanismo de defesa do nosso corpo.

Assista e leia também: 

Sociedade Brasileira de Infectologia recomenda o abandono da hidroxicloroquina

Caos da pandemia no Brasil serve de laboratório para corrida global às vacinas

SP passa Nova York e é estado com mais casos de Covid-19 no mundo

A relação com a Covid-19 (Sars-CoV-2) é que ela é muito parecida com o vírus responsável pela Sars. 

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (17), o infectologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Julio Croda falou sobre a pesquisa. “Geralmente células B produzem anticorpos e são importantes para patógenos, que não necessitam infectar uma célula para sobreviver, como parasitas e algumas bactérias”, explicou.

Existe também a resposta T, que é resposta celular, necessária para combater patógenos intracelulares como o novo coronavírus. “Os vírus, por exemplo, e algumas bactérias, infectam a célula, e essa célula T reconhece a célula infectada e elimina o vírus que está dentro dela.”

(Edição: Paulo Toledo Piza).