Fiocruz aponta segunda onda de síndrome respiratória grave em AP, CE, MA e RJ


Henrique Andrade e Julyanne Jucá, da CNN, em SP
24 de julho de 2020 às 09:48 | Atualizado 24 de julho de 2020 às 09:49
Mulher passa por exame de sangue para teste sorológico da Covid-19

Mulher passa por exame de sangue para teste sorológico da Covid-19

Foto: CNN (1.jul.2020)

Dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) indicam “segunda onda” de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em quatro estados brasileiros: Amapá, Ceará, Maranhão e Rio de Janeiro. É o que indica o Boletim InfoGripe, que alerta para o crescimento no número de casos na Semana Epidemiológica 29 (12/7 a 18/7) nesses estados, que registravam queda nas últimas semanas.

Ainda segundo a Fiocruz, todos os estados da região Sul, além de Sergipe e Mato Grosso do Sul, ainda enfrentam a primeira onda de casos. Segundo a Fundação, o Brasil contabiliza 289.946 registros de SRAGs neste ano, cerca de 50% destes apresentaram resultado positivo para algum tipo de vírus respiratório, 28% deram negativo e outros 14% aguardam resultado (Restante dos casos não realizou teste ou não apresenta informações sobre). Entre os positivos, 96,7% apresentam o novo coronavírus, Sars-CoV-2.

Leia mais:
Cientistas desenvolvem teste que pode detectar Covid-19 em menos de 20 minutos
Covid-19: estudo indica quais máscaras protegem mais
Governo federal já negocia aquisição de vacinas da Pfizer contra Covid-19

Após leve queda em maio, o crescimento no número de caso se mantém no cenário nacional. Segundo a Fiocruz, já ocorreram 76.934 mortes por SRAG (dado pode variar entre 74.888 e 79.792), valor extremamente alto.

Distrito Federal, Minas Gerais e Paraíba atingiram um platô, enquanto Rondônia e Goiás começam a dar sinais de queda no número de registros.