'Ainda não vimos os testes iniciais da vacina russa', diz brasileira da OMS


Da CNN, em São Paulo
12 de agosto de 2020 às 17:01 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 17:12

Com a incógnita da vacina russa contra a Covid-19, o mundo começa a levantar questões sobre a real eficácia do medicamento e a validade dos testes realizados na Rússia.

Em entrevista à CNN, a representante da Sociedade Brasileira de Imunizações e membro do grupo de trabalho de vacinas para a Covid-19 da OMS, Cristiana Toscano, disse que, apesar do anúncio de Vladimir Putin, a vacina ainda irá percorrer longo caminho antes de ser aplicada na população.

“Não tenho receio com essa vacina em particular. O cuidado e a cautela se dão em função de que só se pode aprovar uma vacina após cumprir os testes de fase 3. A aprovação da vacina é da Anvisa, que só irá aprovar os estudos de fase 3 após receber e avaliar os estudos de fase 1 e 2. Ainda não recebemos [nem OMS nem Anvisa], os testes iniciais da vacina russa.”

Leia também

Paraná e Rússia assinam acordo para vacina contra Covid-19

Instituto Butantan começa obras para fabricar vacinas contra Covid-19

Vacina russa estará disponível a outros países em novembro, diz financiador

Cristiana Toscano, representante da Sociedade Brasileira de Imunizações e membro

Cristiana Toscano, representante da Sociedade Brasileira de Imunizações e membro do grupo de trabalho de vacinas para a Covid-19 da OMS (12.ago.2020)

Foto: CNN Brasil

Cristiana disse ter ficado tranquilizada ao escutar de um membro do governo do Paraná – que negociou com o governo russo a produção da vacina no estado – de que ainda irão realizar testes de fase 3 no Brasil. 

Questionada sobre quando poderemos ter a vacina, a brasileiro membro da OMS disse que estamos iniciando a fase mais longa de testes, e que ao menos durante outubro, novembro e dezembro “não teremos respostas definitivas”.

“Estudos de fase 3 são longos porque envolvem milhares de participantes. Até o final do ano não teremos respostas definitivas sobre a eficácia da vacina, pois os resultados dos testes serão mantidos em sigilo.”