'Tínhamos transmissão comunitária em janeiro', afirma secretário da Saúde do ES


Da CNN, em São Paulo
12 de agosto de 2020 às 19:04

A notícia de que o Espírito Santo identificou anticorpos para a Covid-19 em uma doação de sangue feita 15 dias antes do primeiro caso registrado da doença no Brasil fez com que muitos questionassem a real trajetória da pandemia no país.

Segundo o secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes, as análises de sua equipe mostram que o Brasil tem transmissão comunitária (interna) da doença desde janeiro de 2020.

“O avanço rápido da doença fez com que a gente começasse a investigar casos anteriores a 5 de março. Identificamos anticorpos da doença em uma pessoa que doou sangue dia 11 de fevereiro, 15 dias antes da confirmação do primeiro caso no Brasil,” disse Nésio.

Leia também

Brasil confirma 1.175 mortes e 55.155 novos casos da Covid-19 em 24 horas

Por que tantos testes de vacina estão acontecendo no Brasil?

A corrida desenfreada pela vacina pode trazer riscos?

Nésio Fernandes, secretário de Saúde do Espírito Santo

Nésio Fernandes, secretário de Saúde do Espírito Santo

Foto: CNN (12.ago.2020)

“A paciente disse que sentiu alguns sintomas no início de janeiro, então é possível que o contágio aconteceu em dezembro. O Espírito Santo devia ter ainda em janeiro transmissão comunitária do vírus.”

O secretário diz que com a descoberta, outros estados deveriam analisar seus bancos de sangue para procurar amostras de que o novo coronavírus circulava no Brasil antes do primeiro caso confirmado pelo Ministério da Saúde. 

“Isso pode ajudar a entender como a doença se disseminou no país. Temos muita convicção que encontraremos casos da Covid-19 em janeiro e até em dezembro, porque se tratava de uma transmissão comunitária.”