Plantão Médico: é possível fazer crianças usarem a máscara corretamente?

Cardiologista Dante Senra e infectologista Marcelo Otsuka tiraram dúvidas sobre a Covid-19

Da CNN
23 de agosto de 2020 às 13:26 | Atualizado 23 de agosto de 2020 às 14:32

Enquanto novos estudos relacionam crianças com o aumento da transmissão de Covid-19, o médico Marcelo Otsuka, coordenador de infectologia pediátrica da Sociedade Brasileira de Infectologia, alerta para que adultos se certifiquem de que os filhos usem corretamente as máscaras -- embora admita que a missão possa ser complicada.

"É realmente difícil colocar máscara em crianças, mas vemos algumas até abaixo dos 2 anos que estão usando. Mas tem que ser uma máscara específica para a criança, não dá para colocar a de adulto nelas. (...) Se for possível, deve se usar a máscara sim, e o ideal é a criança só sair de casa se realmente precisar", disse o especialista ao quadro #PlantãoMédico, da CNN.

Otsuka ressaltou que apesar do temor de que as crianças ajudem a propagar o novo coronavírus, o que acontece atualmente é o contrário: são os adultos que estão passando Covid-19 para elas. 

"Se tem alguém cumprindo o isolamento, são as crianças. Logo, sabemos que são poucos os casos de crianças transmitindo para adultos. Normalmente é algum adulto que não está respeitando [a quarentena] e contamina essa criança em casa."

Infectologista Marcelo Otsuka tirou dúvidas sobre a Covid-19 (23.ago.2020)
Foto: CNN Brasil

O infectologista também falou sobre o impacto psicológico nos pequenos isolados há meses com a família. Segundo Otsuka, é fundamental manter a mente das crianças ocupadas para minimizar os efeitos negativos da quarentena.

"[Devemos] manter atividades para as crianças em casa para que elas possam, de alguma forma, ter um pouquinho de ação externa, mas sempre com os cuidados necessários. E sabemos que muita coisa dá para fazer dentro de casa também, a tecnologia permite isso. Temos que usar essas opções para perjudicarmos o mínimo possível as crianças", completou.

Leia mais:

Rússia pretende produzir 6 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 por mês

Conheça os quatro estudos clínicos de vacinas contra o coronavírus no Brasil

Por que nossos cérebros têm dificuldade em lidar com a pandemia de Covid-19

Terceira e quarta onda da pandemia

O cardiologista Dante Senra, que é PhD pela Universidade de São Pauli (USP), também participou do #PlantãoMédico deste domingo falando sobre o que os médicos consideram como as possíveis terceira e quarta ondas da pandemia de Covid-19.

"Devemos ter uma segunda onda [da pandemia], que costuma ser menor. Mas a terceira onda é o agravamento das doenças pré-existentes por falta de cuidados. As pessoas deixaram de fazer seus exames cardiológicos, deixaram de medir a pressão, aumentaram de peso e beberam mais [durante o isolamento", disse.

Segundo Senra, a falta de assistência médica durante a quarentena para doenças crônicas já é considerada grave. "As pessoas têm vindo ao hospital com suas taxas metabólicas absolutamente fora de controle", pontuou.

A quarta onda da pandemia, segundo o médico, será a de problemas emocionais. "Do ponto de vista emocional, todos nós estamos contaminados com a pandemia. (...) Nosso status emocional pré-pandemia é decisivo porque determina a maneira como iremos enfrentá-la."

(Edição de texto: Luiz Raatz)