Correspondente Médico: Existe risco em medir a temperatura pela testa?


Da CNN
03 de setembro de 2020 às 10:12

Na edição desta quinta-feira (3) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes afirma que não há risco em medir a temperatura na testa e que o termômetro infravermelho não causa danos à glândula pineal. Ele desfaz o que classifica como um "neuromito" que tem sido disseminado nas redes sociais em meio ao novo coronavírus. 

"É um mito. A glândula pineal é uma estrutura que fica numa região profunda da cabeça, bem no meio e protegida pelo couro cabeludo, pelo crânio e muito tecido cerebral", explica ele. "Então o termômetro não teria a capacidade de, seletivamente, ir lá e destruir a glândula pineal", assegura.

Leia e assista também:

Coronavírus: Fato x Ficção discute a ciência do distanciamento social
Mundo ultrapassa marca de 26 milhões de casos de Covid-19, aponta universidade
Governo contradiz lei sancionada por Jair Bolsonaro que obriga vacinação

O neurocirurgião Fernando Gomes fala sobre a fake news sobre termômetro e Covid

O neurocirurgião Fernando Gomes fala sobre a fake news que diz que uso termômetro infravermelho na testa causa danos e esclarece: trata-se de um neuromito

Foto: CNN (3.set.2020)

Para entender como essa mentira foi criada e se espalhou, Gomes aponta que, historicamente, a glândula pineal sempre esteve associada a espiritualidade e discussão sobre se a conexão entre o espírito e a mente aconteceria nessa região do cérebro.

"Você pega uma estrutura que é sedutora, do ponto de vista histórico, porque traz toda essa conversa de um mundo mais místico e junta com um aparelho novo e tecnológico. São os ingredientes típicos para conseguir criar mitos que tenham uma relevância e consigam se propagar pelas redes sociais", esclarece o médico, que ainda destaca que medir a temperatura dessa forma é "ágil e eficaz". 

O que é a glândula pineal?

Segundo o neurocirurgião, "a glândula pineal é responsável pela liberação da melatonina durante o período da noite, quando ficamos no escuro e não entram informações luminosas pelos olhos. "Com isso, relaxamos e entramos num período de descanso reparador. E isso é um fato", frisa.

Um problema nesse processo e, consequentemente, na produção de melatonina pode causar insônia. O tratamento é suplementação da melatonina. 

"Agora, dentro da neurocirurgia, o maior problema que encontramos dentro dessa discussão sobre glândula pineal são tumores específicos da região, principalmente dentro da faixa pediátrica", afirma, e acrescenta que tratam-se de casos raros e com tratamento.

(Edição: André Rigue)