'Se tudo der certo, teremos vacina em janeiro', diz infectologista

Secretario de Saúde de São Paulo fala sobre vacina que está sendo produzida no Instituto Butantan

Da CNN, em São Paulo
06 de setembro de 2020 às 17:14


O Brasil pode começar 2021 com uma vacina contra a Covid-19 sendo aplicada. Essa é a previsão do infectologista e secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, em entrevista sobre o assunto à CNN neste domingo (6).

"A vacina do Instituto Butantan tem uma programação de término dos estudos ainda em outubro. Em novembro os resultados estarão disponíveis e em dezembro estaremos com 45 milhões de doses no Brasil. Os estudos só vão aguardar a chancela dos órgãos de vigilância sanitária, no caso a Anvisa. Se tudo der certo, teremos tudo pronto em dezembro, com início de vacinação já em janeiro", disse.

Leia também

Pandemia reduz a procura por vacinas no Brasil

Sinovac: conheça detalhes da vacina chinesa em parceria com Instituto Butantan

O infectologista Jean Gorinchteyn (06.set.2020)

"Todas as vacinas só serão liberadas pela Anvisa se tiverem passado e sido aprovada nas fases 1, 2 e 3", ressalta, explicando como andam os testes na China. "A primeira dose produziu proteção em 92% dos pacientes. Quando receberam a segunda dose, 14 dias depois, elevou-se para 97%. Portanto quase 100% de quem tomou a vacina estava protegido.A vacina é extremamente segura e por isso o Butantan trouxe para o Brasil".

A ordem de quem será vacinado primeiro ainda será definida, mas "muito possivelmente seguirá o mesmo ritmo e normativa [da vacina] para a gripe, aqueles grupos que tenham idosos, gestantes, profissionais de saúde".

O secretário de Saúde respondeu ainda ao questionamento de um espectador se haverá vacina para todos ou uma corrida a clínicas particulares. "Ela vai ser distribuída pelo SUS de forma gratuita, ninguém vai pagar por essa vacina. O que queremos é salvar vidas. Quanto mais vacinas seguras existirem, melhor para todos".