Visão responde: como ajustar a alimentação na pandemia?


Da CNN, em São Paulo
08 de setembro de 2020 às 15:37 | Atualizado 08 de setembro de 2020 às 15:38

Após meses em isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, é comum que nossa alimentação mude e que passemos a consumir mais produtos industrializados e fast food, por exemplo, seja por questões emocionais e até mesmo por causa da nova rotina para muitos: home office aliado às tarefas de casa e cuidados com os filhos. Muitas pessoas, inclusive, deixaram de praticar atividades físicas.

A nutricionista Gabriela Cilla explica que é importante sempre prestar atenção na qualidade do sono, queda de cabelo, alteração na pele, ansiedade e até mesmo na respiração. Esses sintomas, segundo ela, podem refletir no modo como você está se relacionando com os alimentos.

Assista e leia também:

Covid-19: É muito improvável que comida seja fonte de contaminação, diz pesquisa

Dez maneiras de vencer pesadelos e dormir melhor

Será que certos tipos sanguíneos nos tornam mais vulneráveis à Covid-19?

A especialista alerta para não compararmos nossa rotina de hoje com a que tínhamos antes da pandemia da Covid-19.
 
Ela destaca ser indispensável fazer cronogramas de exercícios dentro de casa, estipular horários para dormir e acordar e regularizar a alimentação.

E, sim, pode – e haverá – excessos uma vez ou outra! Mas é importante priorizar a qualidade no dia a dia.

No caso das crianças, a nutricionista lembra que ter uma alimentação equilibrada é fundamental para fortalecer o sistema imunológico. É recomendável investir em frutas, vegetais e produtos integrais.

Assista à entrevista na íntegra e veja dicas no vídeo acima.

(Edição: Sinara Peixoto)