Anvisa espera anuência de órgão inglês para retomar testes da vacina de Oxford


Da CNN, em São Paulo
12 de setembro de 2020 às 11:08
Possível vacina contra Covid-19 é desenvolvida pela Universidade de Oxford

Possível vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford

Foto: Sean Elias - 04.abr.2020 / Divulgação / Reuters

Após a Universidade de Oxford anunciar neste sábado (12) que retomará os testes da sua vacina contra a Covid-19, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou em nota que foi informada pela instituição, mas ainda não foi comunicada oficialmente pela Autoridade Sanitária do Reino Unido (MHRA), responsável por esta autorização.  

“Para que a reativação do estudo clínico ocorra no Brasil, a Anvisa espera receber nos próximos dias o peticionamento da empresa AstraZeneca” diz o comunicado. “A Anvisa reitera que está comprometida com a celeridade na análise de todos os dados. Ao mesmo tempo, trabalha para garantir a segurança dos participantes do estudo clínico no Brasil.”

Leia também:
Universidade de Oxford retoma testes de vacina contra a Covid-19
AstraZeneca suspende teste de vacina da Covid-19 após voluntário ficar doente

A AstraZeneca, laboratório envolvido no processo, havia suspendido na terça-feira (8) os testes de estágio final de sua candidata a vacina contra Covid-19 após uma suspeita de reação adversa séria em um participante do estudo. A informação foi confirmada pela repórter da CNN americana Maggie Fox.

Um porta-voz da AstraZeneca disse que o caso ocorreu com uma voluntária no Reino Unido, o que levou a empresa a suspender os testes do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford em todo o mundo, incluindo no Brasil.

O laboratório reforçou que é esperado que alguns participantes não se sintam bem com a aplicação da vacina, mas sinalizou que todos os casos devem ser avaliados cuidadosamente para garantir um processo seguro para o desenvolvimento da vacina.