OMS diz que países precisam escolher se querem abrir bares ou escolas


Naomi Thomas, da CNN
15 de setembro de 2020 às 18:11 | Atualizado 15 de setembro de 2020 às 18:12
Diretor da OMS pediu que governo tomem decisões com base em evidências

Mike Ryan, especialista da OMS

Foto: Denis Balibouse - 03.mai.2019/ Reuters

Os países que estão entrando nos meses de inverno terão que escolher entre abrir bares e casas noturnas ou escolas, disse o Mike Ryan, diretor executivo do programa de emergências de saúde da OMS (Organização Mundial de Saúde), nesta terça-feira (15).

“Temos que sustentar a pressão sobre este vírus, temos que reduzir a transmissão no nível da comunidade para diminuir o risco para as pessoas mais velhas e vulneráveis e para manter um ambiente no qual nossos filhos possam continuar a frequentar a escola”, disse Ryan durante entrevista coletiva em Genebra.

Leia também:

OMS: guia diz que, em maioria dos casos, reabertura escolar não agravou pandemia

Veja a situação da volta às aulas presenciais nos estados

“Então, o que é mais importante? As crianças estão de volta à escola? As boates e os bares estão abertos? ” ele disse. “Acho que essas são decisões que temos que tomar ao entrar nos meses de inverno.”

Uma vez que ainda não existe uma vacina, para manter as crianças na escola e proteger os mais velhos e vulneráveis, não há alternativa à vigilância sustentada, teste e rastreamento, resultados rápidos, investigação de agrupamento, isolamento de casos e quarentena de contatos, Ryan disse.

“Lamento ser chato e lamento continuar dizendo isso indefinidamente, mas não há alternativas”, disse ele. “Isso é o que devemos fazer.”

“Se quisermos servir nossas crianças, as pessoas mais velhas e vulneráveis e nossa população que pode morrer no inverno nesses países, devemos sustentar essas outras atividades e elas não podem ser sustentadas sem o compromisso do governo de fazer isso e do compromisso da sociedade de participar”, disse ele.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)