Agência dos EUA indica que crianças não devem receber vacina contra Covid-19


Pedro Teodoro Da CNN, em São Paulo
14 de outubro de 2020 às 18:50

 

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, da sigla em inglês) informou, nesta quarta-feira (14/10), que as vacinas contra a Covid-19 podem não ser recomendadas para crianças inicialmente. 

Segundo o órgão, as crianças ainda não foram testadas para qualquer vacina experimental contra o novo coronavírus. O CDC ainda disse que os primeiros testes clínicos incluíram apenas homens e mulheres não grávidas. 

Leia e assista também

Pfizer começará a testar vacina contra Covid-19 em jovens a partir dos 12 anos

Pediatras dizem que é preciso fazer testes de vacina para Covid-19 em crianças

Papel de crianças na transmissão da Covid-19 é maior que se pensava, diz Harvard

A Pfizer, uma das desenvolvedoras da potencial vacina para a doença, disse que testará crianças que são capazes de transmitir o vírus a grupos de alto risco. Já a AstraZeneca, outra empresa que está na corrida por um imunizante contra a Covid-19, informou que um subgrupo de pacientes em um grande ensaio clínico testará crianças entre 5 e 12 anos. No entanto, nenhum prazo foi divulgado pelas farmacêuticas. 

De acordo com o centro, as vacinas contra o coronavírus devem ser lançadas em quatro fases, com o fornecimento inicial para profissionais de saúde. Os grupos prioritários na vacinação podem mudar no futuro, à medida que os testes clínicos recrutem mais pessoas. 

O órgão espera um fornecimento limitado de vacinas antes do final de 2020. Nesse caso, somente alguns grupos serão priorizados na vacinação. Os Estados Unidos têm cerca de 7 milhões e 900 mil casos confirmados do novo coronavírus e 216 mil mortes nesta quarta-feira, segundo a Universidade Johns Hopkins.

*Sob supervisão de Giovanna Bronze