Brasil confirma mais 749 mortos e 27.235 infectados em 24 horas

O país soma 151.747 mortos e 5.140.863 casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus.

Sinara Peixoto, da CNN, em São Paulo
14 de outubro de 2020 às 18:42

O Ministério da Saúde registrou nesta quarta-feira (14) mais 749 mortos e 27.235 casos de Covid-19. Ao todo, o país soma 5.140.863 casos e 151.747 mortos pela doença causada pelo novo coronavírus.

 

Leia também:

Brasil tem, há 5 meses, alta taxa de mortes por Covid-19

Mortes diárias por Covid-19 voltam ao patamar de maio, mas OMS teme novos picos

No fim de semana do feriado de 12 de outubro, a média móvel de óbitos diários ficou abaixo de 600 pela primeira vez desde maio, mas para a OMS (Organização Mundial de Saúde), o patamar brasileiro continua alto e os números justificam a continuidade de medidas de isolamento. 

2ª onda na Europa

Na europa, uma segunda onda da doença já dispara o alerta em várias regiões que estavam em processo de flexibilização da quarentena. França e Portugal anunciaram nesta quarta medidas de restrição para conter o novo avanço do vírus.

O presidente da França, Emmanuel Macron, decretou toque de recolher noturno em Paris e outras grandes cidades do interior, para diminuir a velocidade de contágio do novo coronavírus.

A violação do toque de recolher será punida com uma multa de € 135 (equivalente a R$ 887,31 em conversão direta) na primeira ocorrência. Em caso de reincidência, o valor sobe para € 1,5 mil (R$ 9,8 mil).

A França registrou 22.591 casos do novo coronavírus nesta quarta-feira, a terceira vez em seis dias que o país supera a barreira de 20 mil infecções diárias. A Covid-19 já deixou mais de 32 mil mortos naquele país.

Portugal, que também havia amenizado as restrições durante o verão europeu como forma de acelerar a recuperação da economia abatida pela pandemia, voltou a ajustar as regras de circulação. 

O país chegou a permitir a volta às aulas em escolas e universidades, mas agora o governo português declarou que vai decretar estado de calamidade novamente, a partir da meia-noite desta quinta-feira (15).

Não serão permitidas reuniões de mais de cinco pessoas que não morem juntas. A fiscalização do cumprimento das regras estabelecidas para o funcionamento de bares, restaurantes e do comércio também será intensificada. A transgressão das determinações pode custar uma multa de 10 mil euros.