Correspondente Médico: Como a pandemia de Covid-19 afeta o sono?

Neurocirurgião Fernando Gomes tira dúvidas sobre as causas da insônia

Da CNN
20 de outubro de 2020 às 08:58

A pandemia do novo coronavírus se transformou em pesadelo para muita gente. As queixas sobre a falta sono e a dificuldade para dormir, além da recorrência de 'sonhos ruins', aumentou durante o período de crise causada pelo vírus.

Na edição desta terça-feira (20) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou a importância de uma boa noite de sono e tirou dúvidas sobre as causas da insônia.

"Nós temos uma influência geral, de toda a população, destas informações preocupantes sobre a pandemia. Isto faz com que dentro da cabeça das pessoas existam um pano de fundo de preocupação e muitas vezes ele transborda através da manifestação em sonhos", iniciou. 

Leia também:
Correspondente Médico: Como identificar sintomas de depressão em crianças?

Fernando Gomes tira dúvidas sobre as causas da insônia
Fernando Gomes tira dúvidas sobre as causas da insônia
Foto: CNN

De acordo com o médico, estas manifestações acontecem devido às etapas do sono, que fazem o cérebro humano ainda ficar em alerta enquanto inicia o processo REM (Rapid Eye Movement). Este processo consiste em ser o local onde a maior parte dos sonhos acontece. Nele também tem uma intensa atividade cerebral e é importante para o bem-estar físico e emocional, além de durar entre 90 a 120 minutos por noite. 

"Nem sempre a gente lembra dos sonhos que a gente teve, pois para que você lembre do sonho que teve, você deve acordar imediatamente depois que você teve a experiência do sonho", completa. 

"Durante a pandemia, muitas pessoas têm levado estas preocupações para a cama e isso tem aumentado a frequência de pesadelos. Toda esta situação fica no nosso inconsciente coletivo, é uma preocupação compartilhada com todos", disse. 

Para melhorar a qualidade do sono, Fernando Gomes listou dicas para uma 'higienização do sono' fundamental e que visa melhorar o dia das pessoas. Entre outros pontos, nesta lista o médico considera importante ir mais cedo para cama, dormir e acordar nos mesmos horários, fazer atividades relaxantes e não fragmentar o sono. 

"Estas são orientações básicas de comportamento para que tenhamos uma boa noite de sono. Como a própria humanidade evoluiu e vivemos em locais urbanos, é muito fácil entrarmos em um desbalanço entre a nossa atividade mental e fisíca. Por isto estas dicas são fundamentais. Caso não tenha resultado, é necessário procurar ajuda profissional", finaliza.