Europa deve ser termômetro para o Brasil, diz infectologista sobre segunda onda

Infectologista Álvaro Furtado da Costa falou sobre a situação da Covid-19 no mundo, que voltou a aumentar o número de casos após o afrouxamento do isolamento

Da CNN, em São Paulo
17 de novembro de 2020 às 20:24

 

Em entrevista à CNN, o infectologista do Hospital das Clínicas Álvaro Furtado da Costa falou sobre a situação da Covid-19 no mundo, que voltou a aumentar o número de casos após o afrouxamento de medidas de isolamento social.

Para o especialista, o Brasil deve se voltar para a Europa, a fim de entender a dinâmica de uma eventual segunda onda do novo coronavírus no país.

“A questão da segunda onda vai depender de como foi a primeira onda em cada país. Vemos em alguns locais um crescimento significativo de casos porque as políticas de reabertura foram diferentes,” diz o infectologista.

“A Europa tem que ser um termômetro para o Brasil, que já vê expansão de casos em algumas regiões.”

Leia também

Média móvel de mortes por Covid-19 cresce na maior parte do Brasil

Pessoas têm se contaminado em confraternizações, diz Gabbardo

Covid-19: houve aumento substancial de casos nas últimas 48 h em SP, diz médica

(Publicado por Sinara Peixoto)