"Ter vacina em janeiro é um pouco otimista demais", dizem especialistas


Da CNN, em São Paulo
22 de novembro de 2020 às 09:42


 
Apesar das várias notícias sobre os avanços das vacinas contra o novo coronavírus, a dose ainda deve demorar um tempo a ser aplicada à população. A microbiologista e pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, Natália Pasternak, e o coordenador do comitê de infectologia pediátrica da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Marcelo Otsuka, falaram à CNN sobre o assunto neste domingo (22).

"Ter vacina em janeiro é um pouco otimista demais. Vai demorar um pouquinho para elas apresentarem os resultados, serem encaminhadas para a agência regulatória, que vai examinar, aprovar, fazer o registro e só então organizar as campanhas. Tudo isso leva tempo. Não é bom dar data para a vacina, pois depende dos testes da fase 3 e isso não tem data. Teremos de esperar", explica Natália.

Leia também
Quando haverá uma vacina para a Covid-19? A situação dos imunizantes em testes
Fornecimento de gelo seco é apenas um dos desafios na distribuição de vacinas


"A gente tem que ter certeza da eficácia, análise dos estudos, ver resultados concretos, e toda a logística da produção à distribuição. Não é tão simples mesmo, é preciso ter paciência. O bom é que tudo está sendo feito como deve ser", concorda Otsuka.

(Publicada por Luiz Raatz)