Sindicato pede prioridade de vacinação contra a Covid-19 para professores em SP

Segundo a categoria, para a retomada das aulas em São Paulo, é necessário que os professores sejam imunizados

Carolina Figueiredo*, da CNN
08 de dezembro de 2020 às 19:38 | Atualizado 08 de dezembro de 2020 às 19:40
Escola particular em Campinas, São Paulo, se prepara para retomar aulas presenci
Professores querem ser vacinados antes da retomada das aulas presenciais nas escolas
Foto: Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo (23.jul.2020)


O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) solicitou que professores de escolas públicas e privadas sejam incluídos como grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. Na segunda-feira (7), o governo paulista anunciou que vai começar em 25 de janeiro a aplicação da Coronavac em profissionais da saúde, idosos, quilombolas e indígenas. 

A presidente do sindicato, deputada Professora Bebel (PT), argumentou no ofício enviado ao governador João Doria (PSDB) que, para a retomada das aulas em São Paulo, é necessário que os professores sejam imunizados. 

A entidade pede ainda que o Plano Estadual de Vacinação da Coronavac tenha diretrizes como a campanha de vacinação contra a gripe influenza, que considerou os professores como grupo prioritário em razão do risco de contágio existente em sala de aula.

"Se o governador quer tanto o retorno às aulas presenciais, por que não incluir os professores na primeira leva de vacinados?", disse a parlamentar. 

Leia e assista também:

Após reunião com Pazuello, Caiado diz que data para vacinação em SP não procede

Governadores não acham certo vacinação começar apenas por São Paulo

Pazuello confirmou que Brasil terá 300 milhões de doses da vacina, diz Zema

Na capital, que tem a maior rede municipal de ensino do país, um inquérito sorológico realizado em outubro mostrou que 13,2% dos alunos, professores e funcionários das escolas da cidade tinham anticorpos para a Covid-19. Os dados, segundo a Prefeitura de São Paulo, mostravam que ainda não era seguro a volta às aulas. 

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde diz que as equipes técnicas ainda estão trabalhando na sistematização dos locais de vacinação, público-alvo e demais estatísticas relacionadas à primeira fase da campanha de imunização. 

"O Estado tem total compromisso com a realização de ações de vacinação contra Covid-19 e toda definição de públicos-alvo e fases é baseada em protocolos técnicos e normas estabelecidas pelas autoridades sanitárias. O Programa de Imunização de São Paulo tem expertise de mais de cinco décadas do programa de vacinação, pioneiro no país, sempre prezando pela proteção e segurança da população e seguindo protocolos de saúde nacionais e internacionais", diz a nota. 

(*Supervisão de Giovanna Bronze)