Leopardos testam positivo para Covid-19 e são sexta espécie a contrair doença

Três leopardos-das-neves foram diagnosticados com o vírus em zoológico dos EUA

Scottie Andrew, da CNN
12 de dezembro de 2020 às 13:08
Um leopardo-das-neves fêmea chamado NeeCee foi contaminado pela Covid-19 no zoológico de Louisville
Foto: Divulgação/Louisville Zoo

Outra espécie de grandes felinos testou positivo para o novo coronavírus, desta vez, leopardos-das-neves. Essa é a sexta espécie animal confirmada a contrair o vírus após contato com humanos. 

Três leopardos-das-neves, dois machos e uma fêmea, foram diagnosticados com a doença no Zoo de Louisville, nos Estados Unidos, confirmaram o zoo e o Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) nesta sexta-feira (11).

Leia também:

Do vison ao seu gato: o que se sabe sobre a relação entre Covid-19 e animais

De morcegos a visons: como doenças passam de animais para humanos?

A infecçao da fêmea foi confirmada primeiro. É esperado que todos os três leopardos, cujos sintomas são "leves" e incluem espirros e tosse seca, se recuperem completamente, disse o diretor do zoo de Louisville, John Walczak, em um comunicado em vídeo. 

Os leopardos provavelmente foram contaminados por um funcionário assintomático "apesar das precauções adotadas pelo zoológico", disse o Serviço de Inspeção do USDA. 

É improvável que os leopardos —ou outros animais— ofereçam risco significativo de transmissão do vírus para humanos, já que a Covid-19 é primariamente transmitida entre pessoas. 

A espécie é uma das seis que contraíram o vírus após contato próximo com humanos. A primeira foi um tigre malaio no Zoo do Bronz, que testou positivo em abril após exibir sintomas de doença respiratória. Até o fim do mês, oito dos grandes felinos do zoológico, incluindo quatro outros tigres e três leões africanos, foram diagnosticados com o vírus. 

Um pequeno número de cachorros e gatos também contraíram a doença nos EUA, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Na maior parte dos casos em animais, o novo coronavírus não é fatal, apesar de surtos da doença em fazendas de peles nos EUA e outros países terem matado milhares de visons

(Texto traduzido, leia o original em inglês)