Daniela Lima: Lewandowski coloca Anvisa sob pressão para analisar vacinas

Órgão pode perder a primazia na autorização do ingresso desses medicamentos no país caso não os analise em até 72 horas após autorização de agência estrangeira

Da CNN
18 de dezembro de 2020 às 12:41

No quadro Em Off desta sexta-feira (18), na CNN Rádio, Daniela Lima analisou a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou prefeitos e governadores e comprar vacinas aprovada por agências reguladoras que são referência no mundo.

“Isso sim colocou a nossa Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre pressão e abriu a possibilidade de tirar do governo federal o controle total da vacinação no país”, disse a jornalista.

Em decisão cautelar tomada em ação movida pela Ordem dos Advogados do Brasil, Lewandowski autorizou a compra de imunizantes liberados por uma das quatro agências sanitárias citadas em lei federal assinada em fevereiro: as dos Estados Unidos, da União Europeia, da China ou do Japão.  A medida, no entanto, ainda precisa ser referendada pelo plenário do STF.

Assista e leia também:
STF decide que vacina contra a Covid-19 deve ser obrigatória, mas não, forçada
STF autoriza estados e municípios a comprar vacinas aprovadas por outros países

“Se o plano de imunização [do Ministério da Saúde] falhar e se não houver autorização aqui para uso de uma vacina que já foi certificada no exterior, a Anvisa fica pressionada a fazer a análise em 72 horas ou pode perder a primazia na autorização do ingresso desses medicamentos no país.”

Daniela também comentou a decisão do Supremo de tornar obrigatória a vacinação no país, ainda que não de forma compulsória.

“Isso significa que agora todo mundo vai ser buscado em casa para ser vacinado? Não. Significa que você pode sofrer restrições se não quiser se vacinar”, concluiu.

Quadro Em Off, com Daniela Lima, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil