Secretário de Saúde de SP afirma que novos dados da Coronavac são complementares


Will Marinho, da CNN, em São Paulo
12 de janeiro de 2021 às 22:18 | Atualizado 12 de janeiro de 2021 às 22:19


Em entrevista a CNN nesta terça-feira (12), o secretário de Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn afirmou que os novos dados globais da eficácia da vacina Coronavac (que apresenta a eficácia da vacina em 50,38%) são complementares aos dados apresentados pela secretaria de Saúde na última quinta-feira (7) que apontavam o índice de eficácia de 100% para casos graves e moderados e de 78% para os infectados que apresentaram casos leves ou precisaram de atendimento ambulatorial.

Leia e assista também:
Veja como Butantan chegou a eficácia maior que 50%
Governo trabalha para receber vacinas de Oxford até 18 de janeiro
Fiocruz identifica nova cepa da Covid-19 circulando no estado do Amazonas

"Os dados apresentados agora são dados complementares. Eles não foram apresentados na semana passada porque havia a necessidade de um recálculo, uma vez que nós tínhamos um grande número de voluntários [para a pesquisa da vacina] que testaram positivo para a Covid-19 e precisavam ser avaliados. Por isso foi postergada essa análise global", disse o secretário.

Gorinchteyn ainda ressaltou que os critérios usados pelo Butantan para considerar alguma redução na eficácia da vacina, devido a algum efeito colateral nos voluntários foram mais "robustos".

Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do estado de São Paulo
Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do estado de São Paulo
Foto: CNN (12.Jan.2021)

"Quero deixar muito claro que os critérios que foram usados pelo Instituto Butantan para considerar um caso suspeito foi muito mais robusto do qualquer outra vacina. Muitas vezes uma vacina dizia: nariz entupido e dor no corpo. Aqui se colocou uma prerrogativa de vários sintomas: dor no corpo, febre, calafrio, várias possibilidades para se considerar o indivíduo como um caso suspeito", explicou.

Em um comunicado feito nesta terça-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disse que se reúne no próximo domingo (17) para decidir sobre o uso emergencial das vacinas do Instituto Butantan e da Fiocruz. De acordo com o órgão, a data é o penúltimo dia estabelecido internamente para essa avaliação.