Chanceler da Venezuela diz que país mandará dois caminhões com oxigênio a Manaus

Segundo Arreazza, haverá outros envios, já que o governo amazonense mandará cilindros vazios para serem abastecidos na Venezuela

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
15 de janeiro de 2021 às 21:44 | Atualizado 15 de janeiro de 2021 às 21:46
Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus
Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus
Foto: Sandro Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreazza, disse que seu país enviará dois caminhões com oxigênio para Manaus – o material sairá de Puerto Ordaz, cidade a 1.600 quilômetros ao norte da capital do Amazonas, onde é produzido por uma empresa estatal. 

Segundo Arreazza, haverá outros envios, já que o governo amazonense mandará cilindros vazios para serem abastecidos na Venezuela. 

O ministro, que respondeu com mensagens de áudios a perguntas enviadas pela CNN, afirmou que não foi decidido se o oxigênio será doado ou se haverá algum tipo de compensação. Para ele, neste momento o importante é garantir que o material chegue aos hospitais brasileiros.  

Arreazza afirmou que os problemas diplomáticos entre os dois países  - o presidente Jair Bolsonaro não reconhece o presidente Nicolás Maduro – atrapalham a negociação e até dificultaram o contato com o governador do Amazonas, Wilson lima, que negocia a entrega do oxigênio com o governador do estado venezuelano de Bolivar, Justo Noguera Pietri. 

Ele disse desejar que a colaboração de seu país "sirva  de reflexão para as autoridades brasileiras" para que haja relações que permitam a colaboração mútua entre "povos irmãos".