São Paulo repassa parte do segundo lote da Coronavac ao Ministério da Saúde

Estado enviou ao governo federal 900 mil das 4,1 milhões de doses aprovadas pela Anvisa na sexta-feira; restante passa por inspeções e será liberado em breve

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
23 de janeiro de 2021 às 08:59 | Atualizado 23 de janeiro de 2021 às 09:41

O estado de São Paulo já começou a distribuir o segundo lote de doses da Coronavac, aprovado na sexta-feira (22) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Instituto Butantan revisou para 4,1 milhões o total de doses nesse lote da vacina – a estimativa anterior era de 4,8 milhões.

"Após processo de envase e conferência do lote, no entanto, o número de doses produzidas no complexo fabril da instituição foi de 4,1 milhões", informou o Butantan, em nota.

Dessas doses, 900 mil foram encaminhadas na própria sexta-feira para o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, de onde serão distribuídas aos estados dentro dos critérios do Plano Nacional de Imunização.

O restante das doses da Coronavac ainda passará por inspeção de qualidade e segurança e deve ser liberado nos próximos dias.

O Butantan afirmou que, apesar da redução no número de doses produzidas, ainda está dentro do cronograma de distribuição acordado com o Ministério da Saúde. "Das 8,7 milhões de doses da vacina previstas até 31/1, 6,9 milhões já foram entregues." 

Produção nacional

O Butantan espera a chegada de matéria-prima que ainda está na China para poder retomar a produção local da Coronavac. 

A previsão é que um lote com o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) chegue ainda em janeiro e outro em fevereiro. Com essas duas remessas, será possível produzir aproximadamente 16 milhões de doses da Coronavac.

João Doria acompanha a distribuição do segundo lote da Coronavac
O governador de Sâo Paulo, João Doria, acompanha a distribuição do segundo lote da Coronavac
Foto: Divulgação - 22.jan.2021/Reuters

(Com informações de Débora Freitas, da CNN, em São Paulo)